14/11/2012

Pesquisa revela que 61% dos alunos do 9º ano não entendem o que leem

Quézia Amorim Uma pesquisa realizada pelo Portal QEdu, com base na Prova Brasil 2011, afirma que 61% dos alunos do 9º ano das escolas estaduais de Artur Nogueira apresenta resultado de aprendizado insatisfatório no que diz respeito à leitura e interpretação textual. Ainda segundo os dados da pesquisa, apenas 256 dos 644 alunos nogueirenses que […]

Quézia Amorim

Uma pesquisa realizada pelo Portal QEdu, com base na Prova Brasil 2011, afirma que 61% dos alunos do 9º ano das escolas estaduais de Artur Nogueira apresenta resultado de aprendizado insatisfatório no que diz respeito à leitura e interpretação textual. Ainda segundo os dados da pesquisa, apenas 256 dos 644 alunos nogueirenses que cursam o 9º ano, representando 39% dos estudantes, sabem interpretar e compreender o que leem.

Cosmópolis está à frente de Artur Nogueira, contendo 44% dos alunos, 396 dos 904, com aprendizado adequado. O município de Holambra possui 38% de estudantes, ou seja, 63 dos 166, que apresentam nível satisfatório. Já Paulínia conta com 36% dos jovens, 441 dos 1.249, com nível de leitura adequado; ficando por último o município de Engenheiro Coelho, com 15% dos alunos, 29 dos 199, com aprendizado suficiente. “O governo não faz nada para melhorar isso. Antigamente a gente tinha orgulho de estudar em escola pública. A gente brigava por vagas. Hoje em dia, a escola pública está super desvalorizada, porque o aluno tem razão em tudo, a família coloca o aluno lá e dá a missão para o professor, que além de passar o conteúdo e educá-lo, tem que lidar com o aluno com celular, fone de ouvido, outros apetrechos tecnológicos, indisciplina ou qualquer outro tipo de dispersão. São poucos os alunos interessados em aprender, de fato. A gente se mata para montar uma boa aula. Em sala de aula, quando eles levantam a mão, a gente pensa que é para perguntar algo referente à aula, e eles pedem para ir ao banheiro”, conta o professor de Língua Portuguesa e Redação de uma escola da rede privada de Artur Nogueira, Paulo Roberto Munhoz, que leciona há 23 anos e possui também experiência em instituições de ensino públicas.

“A educação tem um papel primordial, nós sabemos, e o mundo inteiro sabe, que o desenvolvimento social, econômico e a liberdade de um país dependem da educação. A Constituição é clara: a educação é um direito do cidadão e dever do Estado. A educação mais importante é a pré-escolar, a fundamental e a média, que são exatamente os níveis que ficam sob a responsabilidade dos Estados e Municípios. Podemos comparar o processo ensino e aprendizagem a um novelo de lã, que vamos desenrolando no tricotar, contando, tirando, desmanchando, refazendo, aprendendo quantos e quais pontos, quantas fileiras, quantos novelos e assim, com entusiasmo e competência, aprendemos a fazê-lo”, finaliza a diretora do Ensino Fundamental da Secretaria Municipal da Educação de Artur Nogueira, Gertrudes Aparecida Macedo Carlini.

Participe!

Tem alguma sugestão de reportagem? Quer contar sobre problemas na sua rua ou bairro? Então, escreva para jornal@nogueirense.com.br


Comentários

Não nos responsabilizamos pelos comentários feitos por nossos visitantes, sendo certo que as opiniões aqui prestadas não representam a opinião do Grupo Bússulo Comunicação Ltda.