19/12/2019

Versão registrada nega que servidora tenha insultado Davi da Rádio

Registro policial ocorreu na Delegacia de Polícia Civil do município

Da redação

Um representante do Cartório Eleitoral de Mogi Mirim (SP), com sede itinerante em Artur Nogueira, registrou na Delegacia da cidade uma segunda versão da acusação de insulto que envolve o parlamentar Davi da Rádio e uma servidora municipal. O caso aconteceu nesta quarta-feira (18). Segundo consta no Boletim de Ocorrências (BO) –  adquirido por fontes a serem preservadas nesta reportagem -, a funcionária nega que tenha insultado Davi.

De acordo com o registro policial, o vereador teria se dirigido a frente do prédio e com gestos pedia calma dos presentes no Posto Itinerante de Atendimento do Cartório Eleitoral e assegurava que todos seriam atendidos devido ao fato dele ser vereador e autoridade máxima presente. Neste momento, outro funcionário, responsável pelo Cartório, se dirigiu ao local e teve ciência de que se tratava de Davi da Rádio. O mesmo alegou que a servidora teria o destratado, bem como os munícipes que aguardavam atendimento.

O funcionário, no entanto, rebateu ao parlamentar dizendo que a servidora, com quem trabalhava há um mês, nunca faltou com respeito a morador algum, independente do cargo. Ela, por sua vez, relatou ao representante do Cartório que apenas havia encostado no braço do vereador e pedido para que ele adentrasse a sala de atendimento, visto que havia marcado horário para às 12h15 da quarta (18).

Ainda de acordo com o registro, naquele instante Davi teria aumentado o tom de voz e dito que ela estava destratando ele e aos demais munícipes ali presentes. Na sala de espera haviam cerca de 30 pessoas, com horário agendado ou a espera de encaixe. Estes, segundo o BO, não esboçaram qualquer reação diante da situação.

Conforme relatado nos registros policiais, a servidora também menciona a presença de outras duas pessoas junto ao vereador, que estariam com câmeras a fim de filmarem o momento. “Davi se dirigia a todo o momento em direção a elas, comentando o que estava ocorrendo”, diz o trecho do documento.

Após a Guarda Municipal e Polícia Militar serem solicitadas no local, o vereador teria sido encaminhado à sala pelo funcionário e realizado o cadastramento biométrico. O servidor representante do Cartório Eleitoral, por fim, que apesar de ter sido o penúltimo dia antes do fim do prazo, os atendimentos teriam ocorrido normalmente, dentro do previsto.

Prefeitura

Pelo motivo da acusada ser funcionária da Prefeitura Municipal, o Portal Nogueirense solicitou ao setor um parecer quanto caso. Em nota, a Prefeitura de Artur Nogueira informou que, não irá se manifestar sobre os fatos. Confira a nota, na íntegra:

A Prefeitura do Município de Artur Nogueira não irá se manifestar sobre os fatos ocorridos hoje entre o vereador Davi César Fernandes e os servidores públicos lotados no Cartório Eleitoral. Todos os servidores públicos do Cartório Eleitoral respondem diretamente à Justiça Eleitoral, e qualquer questionamento deve ser feito diretamente ao Juiz de Direito Presidente da 75a. Zona Eleitoral. A Prefeitura ressalta ainda que é de sua competência apenas a cessão do espaço público e equipamentos para o funcionamento do cartório, e que em nada interfere no tocante ao atendimento e agendamentos relacionados ao mesmo.

Leia mais:

Vereador de Artur Nogueira presta queixa contra funcionária pública

……………………………………..

Tem uma sugestão de entrevista? Clique aqui e envie para o Portal Nogueirense.


ÚLTIMAS NOTÍCIAS



Comentários

Não nos responsabilizamos pelos comentários feitos por nossos visitantes, sendo certo que as opiniões aqui prestadas não representam a opinião do Grupo Bússulo Comunicação Ltda.