11/04/2018

Vereador faz novo questionamento sobre gastos com Carnartur 2018

Em resposta ao primeiro requerimento de Professor Adalberto (PSDB), Prefeitura de Artur Nogueira afirmou ter gasto R$ 146 mil com evento, sem contar as horas extras dos servidores

Da redação

O vereador Professor Adalberto (PSDB) apresentou nesta quarta-feira (11), durante sessão ordinária da Câmara Municipal, um novo requerimento sobre os gastos da prefeitura com o Carnartur 2018. No documento, o parlamentar solicita cópias de contratos de serviço e relatório de servidores que trabalharam no evento, bem como valor pago em horas extras a eles.

O Portal Nogueirense teve acesso às respostas do Poder Executivo ao primeiro requerimento apresentado por Adalberto (PSDB) sobre o assunto. De acordo com o ofício, a soma de gastos da Prefeitura de Artur Nogueira com o evento nas áreas de segurança particular, iluminação, filmagens, palco, banheiros químicos e marketing somaram R$ 146.931,40.

A resposta da administração municipal afirma que, com iluminação e palco, foram gastos R$ 123.780,77. O valor, segundo a prefeitura, é referente a contratação de empresa para montagem de palco, som, iluminação, gerador, fechamentos metálicos, gradil de contenção e sonorização externa na avenida.

O ofício aponta também que, com segurança particular, foi gasto o valor de R$ 7.700. O montante foi usado na contratação de uma empresa que prestou serviço de revista e segurança particular nas portarias do evento, segundo a prefeitura. Outros R$ 5.050 foram usados na divulgação da festa, com faixas, banners, adesivos e sinalização de áreas específicas.

De acordo com o Executivo, ainda foram gastos R$ 10.400,63 com a locação de banheiros químicos. A prefeitura também afirma que não foi feito nenhum contrato ou gasto com fotos e filmagens, visto que esse serviço foi realizado pela Assessoria de Comunicação da administração municipal.

Horas extras

O primeiro requerimento de Adalberto (PSDB) sobre os gastos com o Carnartur 2018 também solicitava à prefeitura um relatório com o nome dos servidores municipais que estiveram envolvidos com o evento. O vereador pedia que o Executivo informasse local em que eles trabalharam, datas, horários e quantidade de horas extras que cada um trabalhou e recebeu.

Como resposta, a administração afirmou que não seria possível fornecer essas informações, pois a folha de pagamento dos funcionários é fechada no dia 20 do mês subsequente. O ofício foi protocolado em 8 de março.

Por isso, nesta quarta-feira (11), Adalberto (PSDB) apresentou um novo requerimento, solicitando à prefeitura novamente o relatório de servidores que trabalharam no evento e as horas extras pagas a eles. Além disso, o documento requer do Executivo cópias de todos os contratos das prestações dos serviços de iluminação, palco, som, gerador, fechamentos metálicos, gradil de contenção e sonorização externa da avenida.

“É difícil falar em porcentagem, mas eu acredito que, dos 146 mil gastos, pelos menos mais uns 40% em cima disso vai subir, pelo gasto com a mão de obra que o Executivo teve. Então acredito que a gente se aproxime dos R$ 200 mil no custo do Carnaval”, afirmou o parlamentar ao Portal Nogueirense. “E eu não estou criticando. Só quero responder para a população que foi gasto, até agora, R$ 146 mil e que tem mais coisas que vamos saber dos gastos com funcionários.”

Adalberto (PSDB) disse ainda que esse valor não inclui os R$ 28.400 gastos com premiação no evento.

Ressomóvel

O vereador também apresentou um requerimento a respeito da Carreta Ressomóvel que esteve em Artur Nogueira entre os dias 19 e 20 de março de 2018 e 6 e 7 de dezembro de 2017. No documento, Adalberto (PSDB) afirma que o veículo pertence ao Consórcio Intermunicipal de Saúde (Cislagos), de Alfenas (MG), e que Artur Nogueira já possui convênio com o Consórcio Intermunicipal de Saúde da Região Metropolitana de Campinas (Cismetro).

No requerimento, ele faz as seguintes indagações:

  • Quantos exames foram realizados no total nos dias acimas citados na Carreta Ressomóvel?
  • Qual o valor em reais pago por cada exame?
  • Qual o custo total pago pela permanência e trabalhos da referida unidade móvel nos dois dias em que esteve disponível no município?
  • Os recursos financeiros utilizados para o pagamento da realização dos exames e da permanência da Carreta Ressomóvel são oriundos do orçamento municipal, dos cofres da prefeitura municipal ou existe outra fonte? Caso exista outra fonte, informar.
  • Qual é o valor cobrado por cada exame do mesmo tipo realizado pelo Cismetro?
  • Porque os referidos exames não foram realizados pelo Cismetro?

Os requerimentos foram aprovados por unanimidade, e o Poder Executivo tem um prazo que vai de 15 a 45 dias (podendo ser estendido) para fornecer as respostas. A próxima sessão da Câmara acontece na segunda-feira (16).

……………………………………..

Tem uma sugestão de reportagem? Clique aqui e envie para o Portal Nogueirense.


ÚLTIMAS NOTÍCIAS



Comentários

Não nos responsabilizamos pelos comentários feitos por nossos visitantes, sendo certo que as opiniões aqui prestadas não representam a opinião do Grupo Bússulo Comunicação Ltda.