29/10/2019

Saean se posiciona sobre falta de água em bairros de Artur Nogueira

De acordo com dirigência da autarquia, queda de energia elétrica, descarte irregular de resíduos, estiagem e uso indiscriminado de água são fatores que vêm colaborando para o problema

Da redação

Representantes do Serviço de Água e Esgoto de Artur Nogueira (Saean) se pronunciaram a respeito do problema da falta de água em bairros do município. O Portal Nogueirense publicou nesta terça-feira (29) reclamações de munícipes sobre o caso que vem ocorrendo, de acordo com os reclamantes, há muitos meses. A dirigência do Saean relatou que a queda de energia elétrica no último final de semana, o descarte irregular de resíduos, a estiagem e o uso inconsciente de água são fatores que estão colaborando diretamente para a queda na distribuição.

O Portal Nogueirense teve contato com a superintendência, a direção de Serviços, Manutenção e setor de Produção da autarquia. Para Luiz Gustavo dos Santos, diretor de Serviços do Saean, alguns fatos ocorridos no último final de semana foram determinantes para o problema na distribuição da água em Artur Nogueira. “Tivemos um final de semana atípico. Foram diversos fatores que ocasionaram a falta de água e fizeram com que a população sentisse isso na pele. A chuva que caiu na sexta-feira (25) foi forte e levou sujeira para a captação, o que causou problemas no tratamento. Nesse final de semana tivemos parada na captação da água por falta de energia elétrica nos três pontos: Cotrins, Poquinha e Balneário. Nós, praticamente, tivemos nossas fontes de água sem ter como serem utilizadas, desde às 18 horas, retornando por volta das 20h30, porém, duas horas sem captar água na ETA 2, por exemplo, representa em torno de 700 a 800 mil litros sem ser tratados e distribuídos à população. Pior ainda foi no dia seguinte da chuva, em que ficamos cerca de seis horas sem energia elétrica na captação do Balneário, e aproximadamente 7 horas sem captação no Poquinha, justamente por falta de energia elétrica. Até os nossos reservatórios se estabilizarem e equalizarmos a distribuição, demora. Foi uma série de problemas que ocasionaram a falta de água. O corpo técnico do Saean está em busca da solução desse problema, mas não é algo tão simples de resolver, muitas vezes não depende só da gente,” expôs.

O diretor de Serviços do Saean também acredita que o consumo indiscriminado de água tem colaborado para a queda de distribuição durante o final de semana no município. “Um grande problema que a gente tem é o alto consumo durante os finais de semana. Muitas pessoas têm o mal hábito de lavar calçadas, lavar carros, com isso baixa o nível dos reservatórios e os pontos mais altos da cidade acabam sofrendo com a falta de pressão de água, como os bairros Itamaraty, Martinelli, Coração Criança, Nosso Chão, Parque dos Ypês, Sacilotto, Planalto, Palmeiras entre outros nos arredores. É importante que nesse período a população contribua e economize água, deixem de lavar calçadas e carros, limpem o quintal com vassouras, são ações que contam muito. Apesar de ter chovido no final de semana, foi uma chuva pontual e não suficiente para encher os reservatórios. A represa está a cerca de 1 metro abaixo do nível ideal dela, isso afeta a captação”, declarou.

Gilson Strassa, chefe de Manutenção do Saean, explicou o que ocorre quando fatores salientados pelo diretor de Serviços ocorrem. Além disso, Gilson também destacou outros motivos que podem ter ocasionado a falta de água na cidade. “A falta de água foi gerada por aspectos diferentes, o excesso de consumo e o calor muito forte também contribuíram. O mais agravante foi um problema ocorrido na ETA 2, que se iniciou na tarde dessa segunda-feira (28) e ainda não foi resolvido. Devido à chuva, toda sujeira colocada indevidamente ao lado dos riachos que formam a represa chegaram nela, e pelo fato da represa estar em um nível baixo,  não está vertendo a água. Ou seja, o lixo chega à barragem e decanta justamente onde ficam localizadas as bombas. Então, a nossa primeira suspeita é o fato dessa sujeira estar bloqueando a sucção das bombas. A nossa suspeita é que as telas estejam obstruídas por essa sujeira que decantou ali na barragem”, observou.

O chefe de Manutenção também afirmou que medidas para a normalização da distribuição estão sendo tomadas. “Entramos em contato com empresas que fazem mergulho e estamos aguardando o retorno para um profissional fazer essa inspeção, e ser for esse o caso, já resolver o problema. Como a represa baixou bastante o nível de água, as nossas bombas precisam de pressão para trabalhar de forma adequada. As bombas não trabalhando adequadamente, no bombear, entram microbolhas de ar e atrapalha, porque o ar não deixa decantar, ao contrário, a sujeira sobe. Conseguimos equalizar a entrada e a saída e estamos tendo resultado positivo, mas ainda não foi resolvido”, acrescentou.

Meire Braga, chefe de Produção do Saean, descreveu o problema que a sujeira descartados irregularmente e levados pelos afluentes à represa do município, atrelado à falta de pressão necessária nas bombas, causam na distribuição de água. “Toda vez que há esse problema de entrada de microbolhas na água, quando ela chega no tratamento, o lodo que está no fundo, decantado, com essa entrada de ar ele sobe para superfície do decantador. Então a água fica embaixo e o lodo fica em cima. Quando chega a esse nível, paramos todo o tratamento porque não há condição de tratar a água assim. Então aguardamos a manutenção, e quando é resolvido e volta o bombeamento, ainda demoramos em torno de uma hora para retirar esse lodo da superfície, fazer a lavagem dos filtros, para depois começarmos a produzir a água. Tudo isso compromete os nossos reservatórios”, assevera.

O presidente e superintendente do Saean, Rodrigo Garcia, faz um apelo para que os moradores de Artur Nogueira façam o uso da água de forma consciente e sem desperdício, para que a distribuição no município não seja ainda mais prejudicada. “Nós do Saean decidimos esclarecer à população o que vem acontecendo devido ao problema de falta de água. Nada melhor do que o corpo técnico para expor isso. Estamos em um período de estiagem e pedimos que a população nogueirense tenha consciência e economize água. Evitem o uso excessivo, só assim a água não vai faltar”.

Ainda não há uma previsão de quando a distribuição de água nos bairros afetados será normalizada. Como já foi mencionado pelos representantes do Saean, a normalização depende agora de fatores técnicos e avaliação de outras empresas no trabalho de limpeza de bombas entre outros mecanismos do setor. Deviso ao problema, a falta de água pode ocorrer novamente ao longo desta semana nos bairros já citados nesta matéria.

…………………………

Tem uma sugestão de reportagem? Clique aqui e envie para o Portal Nogueirense


ÚLTIMAS NOTÍCIAS



Comentários

Não nos responsabilizamos pelos comentários feitos por nossos visitantes, sendo certo que as opiniões aqui prestadas não representam a opinião do Grupo Bússulo Comunicação Ltda.