19/07/2018

Projeto Artur Nogueira Melhor leva solidariedade às ruas

DIA DA CARIDADE: Trabalho social desenvolvido há apenas dois meses já distribuiu mais de 600 refeições

Diego Faria

Unidos pelo sentimento de solidariedade e decididos a ajudar o próximo, um grupo de pessoas deu início a um novo projeto no município, o Artur Nogueira Melhor. Formado por voluntários e sem fins lucrativos, partidários ou religiosos, cerca de 30 colaboradores separam algumas horas da semana para auxiliarem moradores de rua e apoiarem entidades filantrópicas já existentes na cidade.

Um trabalho de transformação, tanto para quem é ajudado, quanto para quem oferece auxílio.

No início das noites de domingos, terças e quintas-feiras, às 19 horas, os integrantes do Artur Nogueira Melhor costumam se encontrar na Praça do Coreto para mais um dia de solidariedade. Refeições, roupas, calçados, cobertores ou medicamentos, tudo o que eles conseguem arrecadar são destinados aos moradores em situação de rua em Artur Nogueira.

Idealizado há cerca de um ano, o Artur Nogueira Melhor iniciou as atividades práticas há apenas dois meses, mas já tem feito diferença na vida de muita gente que, mais do que uma doação, necessita de atenção e respeito.

Além do auxílio prestado aos mais carentes, o projeto também busca fortalecer a atuação das entidades filantrópicas do município. É o que explica um dos colaboradores do grupo, Beto Ichiura, que já realizava trabalhos sociais em São Paulo, capital.

Morador de Artur Nogueira há seis anos, ele decidiu fazer a diferença também no município nogueirense. “A ideia de criar o grupo Artur Nogueira Melhor teve início com pessoas que sempre tiveram vontade de fazer algo social para a cidade, mas não sabiam como. Então decidimos começar atuando diante de um problema pontual da cidade, o caso dos moradores de rua. Também prestamos apoio às entidades que já atuam aqui. São formas de participarmos ativamente pelo município e não ficarmos apenas reclamando diante dos problemas do dia a dia”, pontua.

O grupo inicia uma caminhada pelas imediações da Rodoviária, a praça da Igreja Matriz Nossa Senhora das Dores e a praça da antiga Estação. Esses são alguns pontos fixos onde moradores de rua costumam passar a noite, mas também existem alguns deles que ficam em outros locais, como a praça em frente ao Clube Recreativo Floresta, no Jardim Rezek. Apesar de ser um pouco mais distante do Centro, o Artur Nogueira Melhor também chega até lá. “Nós iniciamos o trabalho a pé, mas quando necessário, também vamos de carro até algum endereço onde sabemos que se encontra alguém que precise de alguma refeição. Nós distribuímos mais do que comida e roupas, mas também sorrisos, abraços e boas conversas”, reitera Ichiura.

Ao longo dos dois meses de atuação do projeto, foram mais de 600 refeições servidas pelo grupo aos moradores de rua que, em boa parte, são transitórios e apenas passam pela cidade, rumo a outros município. Nesse período também houve a distribuição de roupas, cobertores, calçados e medicamentos. Esses são alguns itens essenciais destinados para quem está em situação vulnerável, mas o auxílio prestado pelos integrantes do grupo vai além disso. O diálogo e a atenção é algo fundamental para que se possa alcançar a confiança de pessoas que se deparam dia a dia com o descaso.

Paulo Gabriel também atua junto ao projeto como colaborador. Para ele o sentido de doar também resulta em receber.

“O nosso trabalho é de transformação. Tentamos sempre incentivá-los a deixar os vícios e se manterem sóbrios para que eles também se ajudem. Muitas pessoas acham que basta oferecer um prato de comida, um copo de água, mas a grande parte deles estão em busca também de atenção, de serem ouvidos e se sentirem aceitos. Nós que oferecemos ajuda também somos transformados. Essas pessoas não têm nada, mas carregam carinho e compaixão”, relata.

Cleucinio Quaresma Ferreira, (Xicó), é uma das pessoas auxiliadas pelo Artur Nogueira Melhor. Ele, que já teve Carteira de Trabalho assinada, se encontra em situação de rua há alguns anos e busca por uma oportunidade de emprego que o ajude a retomar uma vida em sociedade.

“Eu acho esse trabalho realizado muito importante. É raro achar pessoas assim, que deixam a família em casa para nos acolher com uma refeição, com uma roupa. Muita gente nos maltrata quando pedimos algo, mas não sabem o que passamos nas ruas”, reflete.

O Artur Nogueira Melhor também tem exemplos de superação entre os colaboradores ligados ao projeto. O servidor municipal da cidade, Salvador Geraldo de Holanda, de 60 anos, já morou por cinco anos nas ruas quando residia em Campinas (SP). Munícipe de Artur Nogueira, hoje ele presta ajuda aos mais carentes com o trabalho que realiza junto ao projeto. Um exemplo a ser compartilhado e seguido pelos que precisam de incentivo.

“O alimento e a roupa que damos a eles é apenas uma forma de termos a aproximação. Esse pessoal precisa de ajuda, se não dermos atenção, eles nunca vão mudar. Eu consegui me reerguer com o apoio de pessoas, principalmente da minha família, que nunca me abandonou. Eu que já estive nessa situação há 15 anos atrás, hoje é um prazer poder colaborar”, relata.

Além do trabalho de doações realizado aos moradores de rua, o Artur Nogueira Melhor também colabora com as entidades do município, como por exemplo, a Aidan, a Apae e o Grupo de Moradores e Amigos do Jardim Carolina. São realizadas ações de comunicação e divulgação de programações das entidades, além de contribuir para dar visibilidade a campanhas beneficentes pelas redes sociais como, por exemplo, o bingo em prol do garoto Gustavo, que sofre com a síndrome de Dandy Walker.

Quem deseja colaborar com o Artur Nogueira Melhor pode entrar em contato com os integrantes do projeto pelo perfil no Facebook. A destinação de alimentos, roupas, medicamentos, entre outros produtos pode ser feita ao projeto por pessoas físicas e, também, por empresas.

……………………………………..

Tem uma sugestão de reportagem? Clique aqui e envie para o Portal Nogueirense.


ÚLTIMAS NOTÍCIAS



Comentários

Não nos responsabilizamos pelos comentários feitos por nossos visitantes, sendo certo que as opiniões aqui prestadas não representam a opinião do Grupo Bússulo Comunicação Ltda.