16/01/2012

População reclama de atendimento do PAT de Artur Nogueira

Com apenas um atendente posto fornece 20 senhas por dia

Alex Bússulo

De segunda a sexta-feira, antes mesmo das 6 horas da manhã, é possível encontrar uma fila de pessoas em frente ao Posto de Atendimento ao Trabalhador (PAT) de Artur Nogueira. São homens e mulheres que disputam 20 senhas para serem atendidos durante o dia.

Quantidade que gera a revolta entre os usuários. “Já fui ao PAT mais de quatro vezes e não consigo ser atendida, todas às vezes me falam que as senhas já se esgotaram e que devo voltar outro dia”, afirma a dona de casa Josiane Belei, que está tentando tirar a Carteira de Trabalho de seu filho.

O morador do Jardim Sacilotto, Paulo Sérgio, chegou às 4 horas da manhã para ser atendido. “Isso que fazem com a gente é uma verdadeira sacanagem, se tivessem mais funcionários não precisaríamos chegar aqui nesse horário”, afirma Sérgio.

O nogueirense Vanderson Santos também se revolta com o atendimento. “Precisei chegar aqui de madrugada para ser atendido, deveriam colocar mais pessoas para trabalhar e evitar esse descaso”, afirma Santos.

O coordenador de manutenção, Pedro Vieira, já procurou o PAT por três vezes para conseguir tirar a Carteira de Trabalho de seu filho. “Estou aqui perdendo horas de meu trabalho e nem sei se vou conseguir ser atendido”, afirma Vieira.

Os PATs são uma rede de atendimento do Governo de São Paulo, coordenado pela Secretaria Estadual do Emprego e Relações do Trabalho (Sert). Em geral, os usuários do posto buscam vagas de empregos, solicitação do seguro-desemprego, emissão de Carteira de Trabalho, entre outros serviços.

Atualmente, há 233 postos no Estado de São Paulo, sendo 13 na Capital, 29 na Região Metropolitana de São Paulo, 161 no interior, 18 no Vale do Paraíba e nove no litoral paulista.

Por se tratar de um serviço estadual, Artur Nogueira deve atender, além dos nogueirenses, moradores de Cosmópolis, Engenheiro Coelho, Holambra ou de qualquer outro município, o que torna as 20 senhas insuficientes.

O escriturário do PAT, João Androni, explica que o número de senhas caiu de 36 para 20 na semana passada, quando um atendente precisou entrar de férias e que somente ele está responsável para fazer o atendimento. O escriturário ainda afirma que o problema se agrava porque a maioria dos atendidos é de outras cidades. “Mais de setenta por cento das pessoas que atendemos diariamente não são moradores de Artur Nogueira e devido ao horário de atendimento não conseguimos atender mais de 20 pessoas por dia”, afirma Androni.

A Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social de Artur Nogueira reconhece o problema e afirma que está tomando medidas para melhorar o atendimento. “Nesta semana teremos uma reunião com a Sert para discutir possíveis soluções. Entraremos em contato também com as cidades vizinhas para que elas criem ou melhorem o atendimento para que seus moradores possam ser atendidos no mesmo local onde moram. Em novembro vence o contrato com o Estado, se até lá não for resolvido o problema, vamos municipalizar o serviço”, afirma a secretária de Assistência e Desenvolvimento Social, Keli Capelini.

A secretária ainda afirma que pretende alterar e aumentar o quadro de funcionários do PAT de Artur Nogueira.

Fila em frente ao PAT na última sexta-feira às 6 horas da manhã 


ÚLTIMAS NOTÍCIAS



Comentários

Não nos responsabilizamos pelos comentários feitos por nossos visitantes, sendo certo que as opiniões aqui prestadas não representam a opinião do Grupo Bússulo Comunicação Ltda.