13/04/2019

Paciente de Artur Nogueira com grave infecção aguarda há 5 anos por cirurgia

Enfermidade causada por osteomielite crônica afeta uma das pernas do paciente; Cirurgia depende de pedido e encaixe do município junto a hospitais da região

Da redação

Um morador de Artur Nogueira aguarda há cinco anos por um encaminhamento da Prefeitura da cidade para passar por uma cirurgia em hospitais de Campinas (SP) por decorrência de uma grave infecção que lhe afeta uma das pernas. Com a demora no encaixe do paciente, ele corre sérios riscos de saúde, inclusive, em sofrer uma infecção generalizada pelo corpo, conforme os médicos que lhe atenderam declararam. O morador alega que vários pedidos médicos já foram encaminhados para o setor de Saúde do município para que a cirurgia seja efetuada com urgência, mas sem ter a agilidade necessária do setor, a demora na espera pelo procedimento tem sido maior ainda.

Vanderlei Aparecido Mendes tem 46 anos. Ele e a mãe residem em Artur Nogueira há 22 anos e, atualmente, eles moram no Residencial Minha Casa Minha Vida.  Há cinco anos Vanderlei sofre com a infecção de osteomielite crônica na perna esquerda. A enfermidade costuma afetar os ossos, sendo causada por bactérias, fungos ou micobactérias, em especial, o staphylococcus aureus. Com o líquido do osso infeccionado, costumam se manifestar feridas externas no membro afetado, causando intensas dores.

O problema de Vanderlei se iniciou por meio de uma pequena ferida, que com o tempo, foi se agravando e ficando cada vez maior. Ao procurar um médico na época em que descobriu a ferida, foi receitada uma pomada para ele que ajudava na cicatrização do machucado, mas após um curto período, a ferida se manifestava novamente. “Dói muito, me dá febre na perna e ela fica inchada. De acordo com os médicos, não tem mais remédio que me ajude, apenas uma cirurgia mesmo”, lamenta Vanderlei.

Devido à enfermidade, as maiores dificuldades do morador é permanecer em pé por muito tempo e caminhar por logas distâncias. Desde que ele começou a sofrer com o problema, tem tentado por diversas vezes um encaminhamento para hospitais de Campinas (SP), entre eles, a Unicamp, a PUC e o Mario Gatti. Durante as consultas que Vanderlei passou em Artur Nogueira, desde 2014, os médicos que o atenderam já o orientaram a efetuar os pedidos de encaminhamento pela Prefeitura da cidade com indicação para as unidades hospitalares da região, mas de acordo com o paciente, até agora, ele não obteve resultado na procura junto ao setor de Saúde nogueirense.

“O meu primeiro atendimento aqui em Artur Nogueira foi no Posto de Saúde Rural, então me encaminharam para o Centro de Especialidades com o médico vascular. Depois passei com um ortopedista que me mandou esperar por uma vaga na Unicamp, isso há cerca de cinco anos. De lá pra cá, já passei outras vezes em atendimentos aqui na cidade e, até agora, nada”, relata.

Posteriormente, Vanderlei diz que também foi encaminhado pelo município ao Hospital do Outro Verde, em Campinas (SP), mas na unidade ele teve a informação de que lá não eram realizadas cirurgias referentes ao problema de osteomielite, somente nos hospitais da Unicamp, PUC ou Mario Gatti. Com um novo pedido em mãos, ele procurou novamente o Centro de Especialidades, passou por nova consultas e teve outro pedido de encaminhamento com urgência para a Unicamp, mas ao que o morador indica, os documentos dele foram extraviados pelo setor de Saúde. Vale ressaltar que o encaixe para a cirurgia dele pode ser feito, supostamente, em qualquer uma das unidades de Saúde de Campinas (SP) mencionadas, mas mesmo com as opções, o encaminhamento ainda não aconteceu.

Sem ter condições de Vanderley caminhar por longas distâncias, a mãe dele, a aposentada Vitória Berctachi Mendes, de 74 anos, é quem costuma se dirigir semanalmente ao Centro de Especialidades para tentar resolver o problema do filho. Na terça-feira (9), última vez que ela esteve na unidade, a idosa não conseguiu obter nenhuma informação que contribuísse na longa espera. Em uma pasta, mãe e filho acumulam os vários relatórios de consultas anteriores. “Toda semana eu vou lá (Centro de Especialidades) e eles não sabem me dizer para quando terá esse encaminhamento, nem os papéis dele com os pedidos dos médicos eles conseguiram localizar. Eles dizem apenas que não tem vaga e que é para nós esperaremos. Talvez meu filho já deva perder perder a perna, mas com essa demora, meu filho vai perder a vida, porque não são cinco dias nem cinco meses, são cinco anos que estamos aguardando alguma provisão”, lamenta a idosa.

Sem ter como trabalhar devido ao problema de saúde, Vanderlei também tem tido dificuldade para conseguir o auxílio doença proveniente do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) no município. Até outubro do ano passado ele conseguiu o benefício de R$ 998 por três meses, mas desde janeiro, ele tem recebido negativas durante as perícias e não está mais recebendo o auxílio. Vanderlei agora conta com a ajuda de uma advogada para tentar garantir o benefício enquanto permanece desempregado devido à enfermidade. “Eu quero resolver logo esse problema e passar por essa cirurgia para poder voltar a trabalhar e ajudar a minha mãe. Sem resolver isso, não tenho como continuar a trabalhar”, desabafa.

Prefeitura

Em contato com a Prefeitura de Artur Nogueira, o Portal Nogueirense recebeu a informação da Secretaria de Saúde informando que, “o paciente Vanderlei Aparecido Mendes deu entrada para avaliação de tratamento cirúrgico ortopédico no dia 01/12/2015. O mesmo foi encaminhado para o Hospital Ouro Verde no dia 20/06/2018 via sistema saúde on-line (Sistema SOL), que é o sistema de referência para o município. Em contato direto com o paciente, o Hospital Ouro Verde informou que não realizaria este tipo de procedimento e que o mesmo deveria procurar novamente o município, não enviando nenhum documento de retorno”.

O setor relatou ainda que posteriormente, “Vanderlei passou mais uma vez com o ortopedista da rede que o encaminhou novamente para tratamento cirúrgico, e a nova solicitação deu entrada na Regulação de Exames no dia 06/12/2018. Dessa forma, o encaminhamento encontra-se na regulação na espera de uma vaga de Ortopedia Geral na PUC (via Sistema SOL) ou no junto à DRS7 (Departamento Regional de Saúde – Campinas/SP), para outro hospital regional, para que o paciente possa realizar o tratamento cirúrgico necessário. A Secretaria de Saúde se coloca a disposição para maiores esclarecimentos ao paciente, caso haja dúvidas”, declarou o setor.

……………………………………..

Tem uma sugestão de entrevista? Clique aqui e envie para o Portal Nogueirense


ÚLTIMAS NOTÍCIAS



Comentários

Não nos responsabilizamos pelos comentários feitos por nossos visitantes, sendo certo que as opiniões aqui prestadas não representam a opinião do Grupo Bússulo Comunicação Ltda.