12/07/2015

Grupo distribui alimentos a moradores de rua em Artur Nogueira

Iniciativa começou há quatro semanas. Além de comida são entregues roupas e cobertas.

“Quando a gente chegou pela primeira vez o rapaz me olhou e disse que passou o dia pensando em comer uma sopa. Eu chorei com isso”, conta o pastor Celso Roberto Nascimento. Ele, a esposa Andreza e mais um casal de amigos começaram há quatro semanas a distribuir alimentos a moradores de rua de Artur Nogueira. Hoje o grupo já atende cerca de dez pessoas e, além de comida, entrega roupas e cobertores. “Se tem morador de rua em Artur Nogueira? Tem sim!”, garante Nascimento. O objetivo é levar à essas pessoas materiais de necessidades básica e expandir o projeto.

A ideia começou quando Celso, Andreza e o casal de amigos iam para a igreja Betel, Comunidade Evangélica do Deus Vivo. Falavam em como levar o evangelho às pessoas e pensavam em ter um programa de rádio. A conversa tomou outro rumo quando verso bíblico de Mateus 25:35 foi citado. “A Bíblia fala: tive fome e me destes de comer”, explica Nascimento. “Essa é a melhor forma de levarmos o amor de Deus às pessoas”. A partir daí decidiram que ajudariam os moradores de rua do município.

O grupo se reuniu e com o pouco que tinha fizeram algumas sopas. A primeira entrega aconteceu às 22 horas de uma sexta-feira. Segundo Nascimento saíram sem rumo, como “investigadores de polícia” à procura de alguém. Até encontrarem em frente à prefeitura, no Coreto, no Clube Floresta, no Balneário Municipal, no bairro Bom Jardim diversas pessoas sem teto.

“Quando a gente chegou pela primeira vez o rapaz me olhou e disse que passou o dia pensando em comer uma sopa. Eu chorei com isso.” O testemunho do primeiro dia fez o grupo seguir. E o que começou em uma sexta-feira como algo casual se tornou, agora, a jornada diária das 19 horas.

interna

“A minha vontade era levar essas pessoas para uma casa. Mas não tem como ainda. Só que a gente percebe que muitas delas só precisam de um abraço, de comida, de atenção… nem sempre é dinheiro.” Nascimento conta que já chorou com eles e diz que nada do que faz é para chamar a atenção – quem os procurou foi a reportagem do Nogueirense e não eles. É simplesmente por amor. “É assim que demonstramos Deus.”

Agora o grupo pequeno arrecada alimentos para dar sequência ao projeto. Vaquinhas já foram feitas e já foi pedido ajuda por meio das redes sociais. Além de arroz e feijão, eles querem levar misturas, com carne, para oferecerem refeições completas.

Entre as histórias ouvidas nas visitas estão casos de pessoas que perderam tudo, viciados e ‘peão de trechos’. “A importância do projeto é esta, melhorar a vida dessas pessoas. E se alguém quiser ajudar, será bem-vindo.”

O contato com o grupo pode ser feito pelos telefones (19) 3877-4422 e (19) 9 9402-3889.


Comentários

Não nos responsabilizamos pelos comentários feitos por nossos visitantes, sendo certo que as opiniões aqui prestadas não representam a opinião do Grupo Bússulo Comunicação Ltda.