14/06/2019

Moradora de Artur Nogueira participa de doação de sangue há 11 anos

Neste 14 de junho, DIA MUNDIAL DO DOADOR DE SANGUE, conheça o exemplo de Ana Flores Oliveira, munícipe que faz da doação uma forma de ajudar o próximo

Da redação

Nesta sexta-feira, 14 de junho, é a data em que se celebra o Dia Mundial do Doador de Sangue. Artur Nogueira, município com cerca de 54 mil habitantes (IBGE 2018), costuma ter atuação constante em campanhas de doação de sangue, promovidas na cidade pelo Hemocentro do Hospital da Unicamp, de Campinas (SP). Para mostrar um pouco da importância desta data, o Portal Nogueirense traz o exemplo de uma moradora de Artur Nogueira que costuma fazer da doação de sangue, uma maneira de fazer o bem ao próximo.

A dona de casa Ana Flores Oliveira tem 53 anos e reside em Artur Nogueira desde os seis anos. Ela é nascida em Aparecida d’Oeste (SP) e participa de campanhas de doação de sangue há 11 anos. Há quem pense de forma errônea que o ato de doar sangue seja incentivado apenas para se ter benefício próprio, como filas prioritárias ou atestados médicos, mas para essa moradora, a ação de doar é feita pela nobre causa de ajudar o próximo.

Portadora de sangue do tipo O, Ana conta que o hábito da doação de sangue teve início há mais de uma década, quando ela trabalhava em uma empresa de tecelagem, situada em Artur Nogueira. “Eu trabalhava na Teka e sempre colocavam cartazes lá para informar sobre as campanhas de doação de sangue pela Unicamp, então eu tive vontade de participar e não parei mais”, lembra ela.

As campanhas de doação de sangue costumam ocorrer em Artur Nogueira há cada dois meses, com realização do Hemocentro da Unicamp, através da secretaria de Saúde da cidade. A última edição da campanha aconteceu no dia 6 de junho, no salão da Comunidade São Benedito, no bairro Nosso Chão. Durante a última coleta realizada, o Hemocentro arrecadou 85 bolsas de sangue, tendo ao todo 107 candidatos aptos à doação. Na ocasião também foram feitos 22 cadastros para doações de medula óssea.

Ana Flores diz que o desejo de fazer o bem ao próximo é o principal motivo pelo qual ela sempre busca participar das ações de doação no município. “Eu me sinto muito bem por ser uma doadora, eu estando bem de saúde, eu sempre participo. As vezes me perguntam por que eu sou doadora, não me prejudica em nada, então por que não fazer o bem? Eu sei que nesses hospitais tem sempre alguém precisando dessas doações, então temos que ajudar”, pontua.

Para estar apto para ser um doador, o candidato deve passar por uma triagem no local de coleta, realizada sempre por profissionais da Saúde. O doador deve estar em boas condições de saúde, pesar no mínimo 50kg, estar alimentado, porém, aguardar uma hora após o café da manhã ou duas horas após o almoço, evitando alimentos gordurosos no período de doação. Também é preciso não ter ingerido bebidas alcoólicas nas últimas 12 horas que antecedem a doação, não fumar por duas horas antes da coleta e na primeira hora após a doação, estar descansado e ter dormido pelo menos seis horas do dia.

Quem tiver tomado vacina de vírus vivos atenuados, como por exemplo a febre amarela, deve esperar até 30 dias para a doação. No caso de vacinas contra a gripe, o prazo é de uma semana para a doação. Homens precisam espera o prazo de 60 dias entre uma doação e outra, já as mulheres, 90 dias. Idosos com idade de 60 a 69 dias, devem aguardar 180 até a próxima doação.

Menores de 18 anos, com idade mínima de 16 anos, também podem doar, mas é preciso que estejam acompanhados de um responsáveis, ou com o formulário de autorização devidamente preenchido. Todos os doadores devem estar munidos de um documento com foto no ato da coleta. Pessoas que tiverem passado algum tipo de cirurgia, aplicação de piercing ou feito tatuagem e maquiagem definitiva, precisam permanecer um ano sem doar sangue.

Alguns mitos costumam causar dúvidas para algumas pessoas em relação ao tema, como por exemplo, que após passar pela doação de sangue é preciso doar sempre, ou que pode haver a falta de sengue no corpo do doador após a coleta. Mas Ana, moradora de Artur Nogueira e ocídua doadora de sangue, afirma que nada disso é verdade. “As pessoas podem doar quando quiserem. O sangue não engrossa e não existe a falta dele para quem doa. No meu caso, a única coisa que eu sinto quando dou sangue é um pouco mais de sede, mas ao longo do dia, isso já se normaliza. Eu nunca me sinto mal devido à doação. Tenho um irmão e amigos que também doam e estou sempre incentivando a doação”, explica ela.

Todo o processo de doação de sangue costuma durar no máximo duas horas, desde a entrevista com o doador, a triagem e a efetividade da coleta. Costuma ser coletado 500ml de sangue de cada pessoa e, quem precisar de atestado médico para comprovar a doação no trabalho, o termo é sempre cedido aos doadores. Assim como Ana Flores, que sempre participa das campanhas do Hemocentro em Artur Nogueira, quem doa uma vez sempre costuma retornar para a fila de doação.

A próxima campanha de doação de sangue em Artur Nogueira é prevista para ocorrer na primeira quinta-feira de agosto. Para mais informações sobre as campanhas de doação de sangue em Artur Nogueira, os interessados podem entrar em contato com o Hemocentro da Unicamp pelo telefone 0800-722-8432, ou pelo site do Hemocentro.

……………………………………..

Tem uma sugestão de reportagem? Clique aqui e envie para o Portal Nogueirense.


ÚLTIMAS NOTÍCIAS



Comentários

Não nos responsabilizamos pelos comentários feitos por nossos visitantes, sendo certo que as opiniões aqui prestadas não representam a opinião do Grupo Bússulo Comunicação Ltda.