12/08/2014

Morador de Artur Nogueira perde R$ 18,5 mil em saidinha de banco

Para combater crimes como esses, leis municipais obrigam bancos a tomarem medidas de segurança e atendimento

Por Isadora Stentzler

Um homem de 32 anos foi vítima de saidinha de banco na última quinta-feira (8) em Artur Nogueira. Ele havia sacado R$ 18,5 mil na agência do Itaú e foi abordado por dois homens armados em frente à própria casa no Jardim Amaro. Os assaltantes estavam em uma CG Titan escura e levaram todo o dinheiro.

De acordo com a escrivã Suelene Molina, da Delegacia de Polícia de Artur Nogueira, nunca é possível prever quando isso ocorrerá, mas pode-se tomar alguns cuidados. “Evitar sacar valores altos, não informar a outros o quanto será retirado e ir acompanhado são alternativas de segurança”, esclarece.

Em Artur Nogueira existem leis municipais  que falam a respeito da segurança e comodidade das agências bancárias.

O artigo 1º da Lei Municipal 3.093, de 2011, por exemplo, determina que os estabelecimentos bancários são “obrigados a instalar divisórias entre os caixas e o espaço reservado para clientes que aguardam atendimentos”, a fim de proporcionar “privacidade às operações bancárias”. Estas divisórias devem ser opacas e ter altura mínima de 1,80 metros.  A multa para quem descumprir é de 70 UFESP’s diários, o que equivale a R$ 20,14 reais por dia.

DSC_0373

Fiscalização

No mês passado a fiscalização do município notificou todos os bancos para que se adequassem a três leis municipais que tratam dos espaços bancários. Além das divisórias, há medidas que determinam 25 assentos para os usuários dos serviços dos caixas (Lei 2.824/2006), por exemplo. As agências têm até o dia 18 de agosto para fazerem as adaptações necessárias. Segundo a fiscalização, medidas são para segurança e também comodidade.

DSC_0369

O gerente geral da Caixa Econômica Federal de Artur Nogueira, Frederico Oliveira, diz que recebeu a notificação também, mas não terá mudanças a fazer. “As agências Caixas estão sempre de acordo com a Lei, então a notificação não mudou muito para nós”, pontua. De acordo com Oliveira, que está na agência desde janeiro de 2013, esta foi a primeira vez que foram notificados.

Segundo a assessoria da prefeitura, “a atual gestão se esforça ao máximo para que todas as Leis Municipais sejam cumpridas”, uma vez que uma das Leis é de 2006 e do ano passado para cá esta foi a primeira notificação.


Comentários

Não nos responsabilizamos pelos comentários feitos por nossos visitantes, sendo certo que as opiniões aqui prestadas não representam a opinião do Grupo Bússulo Comunicação Ltda.