23/10/2014

Mecânico de Artur Nogueira cria sistema em casa para reutilizar água de enxague

Água que sai da máquina de lavar roupa com amaciante é armazenada em uma caixa d’água e usada para limpar o quintal

Por Isadora Stentzler

Um mecânico de manutenção de Artur Nogueira estava cansado de ver a água da máquina de lavar roupas escoar. Há dois meses, em plena estiagem e em dias de racionamento, Aparecido Francisco Quirino, de 51 anos, resolveu então criar um meio para evitar o desperdício e manter a limpeza do quintal e do piso de casa. Uma ideia que garante a economia de 6 a 7 mil litros de água por mês.

“Eu via que na televisão eles falavam sobre o assunto [da falta de água]. E na cidade também não se podia mais lavar calçada. Então pensei: ‘Preciso bolar alguma coisa!’” O mecânico de manutenção passou a ponderar sobre o assunto até que um irmão o visitou com uma moto bomba. “A bombinha era para puxar a água para a caixa, que fica em cima. E quando vi aquela peça me veio uma luz”, explica Quirino sobre como surgiu a ideia.

O projeto instalado na casa do mecânico de manutenção, no bairro Paineiras, consiste em conectar canos à máquina de lavar roupa que levam a água do enxague a um local de depósito.

DSC_0372

Ao final do enxague, quando há apenas amaciante, a água sai da máquina de lavar roupa direto a uma tonel, por meio de uma mangueira da própria máquina. No tonel estão conectados canos que, acionados por meio de uma válvula e pela moto bomba, liberam a água que vai ao reservatório, onde ela fica armazenada. Quirino optou por usar uma caixa d’água para isso. “Instalei uma caixa com capacidade de 500 litros, assim armazeno mais água.”

DSC_0367

DSC_0365

Após o armazenamento, a água é retirada por meio de uma mangueira conectada ou na caixa de água, ou próximo da válvula que libera água do tonel.

Na terça-feira, dia 21, a caixa d’água de Quirino estava cheia e o tonel, de 180 litros, também. “Essa água eu uso para limpar o piso, a casa, o canil, tapete, roupas que uso no trabalho… para tudo o que tenho necessidade”, explica sobre o uso da água.

DSC_0385

Segundo Quirino, antes de construir o sistema ele e a esposa gastavam 21 mil litros de água, passando para 15 mil litros no segundo mês de armazenamento e reuso. Por semana, Quirino armazena 500 litros de água de reuso na caixa.

O projeto teve um custo total de R$ 800, mas o mecânico frisa que pode variar dependendo dos materiais escolhidos.

Para a confecção do reaproveitador de água de enxague foram usados uma caixa de água, moto bomba, válvulas, canos, tábuas, mangueira, cimento e materiais de alvenaria para sustentar o reservatório.

“Leva de dois a três dias para que fique tudo pronto”, pontua Quirino.

Depois do projeto na própria casa, Quirino foi chamado por amigos para implantar em outros lugares. “Um amigo meu que tem oficina viu o que eu fiz lá em casa e disse que quer implantar também”, conta. “É porque ele precisa limpar a garagem e com a água da máquina seria melhor.”

Em agosto deste ano a professora Gabriela Souza Carlstrom da Escola Municipal Amaro Rodrigues (Ninico) também criou um projeto com seus alunos para reuso da água da chuva. A iniciativa pode ser lida clicando aqui.


ÚLTIMAS NOTÍCIAS



Comentários

Não nos responsabilizamos pelos comentários feitos por nossos visitantes, sendo certo que as opiniões aqui prestadas não representam a opinião do Grupo Bússulo Comunicação Ltda.