17/09/2019

Lucas Sia pede que advogados desistam de cobrança contra Prefeitura de Artur Nogueira

Lucas Sia (PSD) se pronunciou especificando ser contra Moção de Repúdio à Zezé e Croife, mas espera que ambos solicitem que advogados desistam da cobrança milionária de honorários

Da redação

Em Plenário na noite desta segunda-feira (16), o vereador Lucas Sia (PSD) pediu para que Zezé da Saúde (PR) e o ex-vereador Edson Croife, inseridos no processo contra a concessão do Saean que resultou no Recurso de Apelação de até R$4,3 milhões em honorários contra a Prefeitura, pedissem para que os advogados desistam da cobrança milionária contra o município. Mesmo com a solicitação, o parlamentar se posicionou contrário à Moção de Repúdio protocolada por Cristiano da Farmácia (PR), avaliando a intenção de Zezé e Croife.

Lucas Sia se pronunciou sobre o voto dele, contrário à Moção de Repúdio à Zezé da Saúde e Edson Croife. Como advogado, Sia avaliou, assim como o vereador Adalberto Di Labio (PSDB), que houve “imprudência” na contratação dos advogados representantes no processo contra a privatização do Saean.

Mesmo extinta, a ação resultou no Recurso de Apelação estimado em até 5% do valor corrigido da causa a serem pagos em honorários pela Prefeitura, chegando a R$4,3 milhões. “É um voto muito difícil em relação a muitos aspectos. Assim como o professor Adalberto, hoje nesse plenário eu mudei de opinião. Eu acho que teve falta de prudência, sim, na contratação [dos advogados]. Como advogado, eu entendo que quando a gente vai fazer uma contratação, a gente analisa os honorários de sucumbência, que é aquilo que a parte contrária tem que pagar para o advogado vencedor. Esses honorários são do advogado”, pontuou de forma técnica o parlamentar.

Apesar da advertência, Sia destacou ser contrário à concessão do Saean, por isso, decidiu votar contra a Moção de Repúdio à Zezé e Croife avaliando a intenção dos reclamantes. Na ocasião, Lucas aproveitou também para fazer um apelo para que os protagonistas da ação contra a concessão solicitem que os advogados desistam da cobrança milionária de honorários. “Eu sou contra esse absurdo que essa gestão está querendo fazer, a concessão do Saean, assim como a vice-prefeita e como o ex-vereador Croife. Também sou contra os R$4,3 milhões que estão sendo pedidos no processo (apelação). É uma questão política, de sermos contra a concessão para proteger a população de um ato que destruiria o nosso município, mas também a gente não pode cobrar R$4 milhões de honorários. Eu vou pela intenção. Eu vejo que a Zezé e o Croife tiveram boa fé, então, vou votar contrário pela intenção, mas gostaria já de fazer um apelo para vocês [Zezé e Croife], para que conversem com os advogados que vocês contrataram e peçam para que desistam desse valor de R$4 milhões, porque o município, hoje, precisa desse dinheiro. Que seja um ato de solidariedade de vocês e dos advogados em relação ao município, porque a Prefeitura e os cofres públicos, independente da péssima gestão, não tem condições de pagar esses R$ 4 milhões”, destacou.

Lucas sai também chamou a atenção para o número de funcionários comissionados da Prefeitura que estiveram presentes na sessão da Câmara nesta segunda-feira (16), ressaltando a falta de Ivan Vicensotti (PSB) na audiência pública sobre a concessão do Saean, realizada no último dia nove de setembro. “Se fosse para o Prefeito pagar [se referindo aos honorários], que nem em uma audiência pública ele teve coragem de aparecer, apesar de hoje ter solicitado para que vários cargos comissionados lotassem esse Plenário. É muito injusto você ver uma vice-prefeita que tentou não fazer a concessão do Saean, e hoje coincidentemente, a Câmara estar lotada por esse motivo. Isso beira a covardia”, disse.

O parlamentar finalizou a fala dele afirmando que, assim como Zezé e Croife, além de outros ativistas do município, continuará a não apoiar a concessão do Saean. “E a gente vai continuar, sim, defendendo nosso município contra a concessão do Saean. E agradeço, porque alguns vereadores aqui, mesmo minoria, são contra a concessão do Saean, estamos na mesma luta. O Saean é nosso, e uma empresa que dá lucro, a gente não vai deixar conceder tão barato. Podem ter certeza disso, enquanto eu estiver nessa cadeira ou mesmo que eu saia, como munícipe de Artur Nogueira, enquanto o Saean der lucro, eu vou lutar, independente de quem esteja lá [Prefeitura], contra a concessão de uma empresa que dá lucro, porque eu não estou aqui para fazer a vontade de ninguém, eu estou aqui para fazer o melhor para o nosso município”, finalizou.

Assim como Lucas Sia, Adalberto Di Labio, Rodrigo de Faveri (PTB), Davi da Radio (DEM) e José Pedro Paes (PSD) votaram contra a Moção de Repúdio 038/2019 protocolada pelo vereador Cristiano da Farmácia à Zezé da Saúde e Edson Croife. Já Mineirinho do Bar (PROS), Zé da Elétrica (PRP), Ermes Dagrela (PR), Cristiano da Farmácia (PR), Lari Baiano (PSC) e Miltinho Turmeiro (PMDB) votaram a favor, decidindo a votação em 6 X5.

Leia também: 

Vereador de Artur Nogueira diz que “faltou prudência” de vice-prefeita na contratação de advogados

Câmara aprova moção contra Zezé da Saúde

“Estamos defendendo a nossa autarquia, abram o olho”, diz vice-prefeita de Artur Nogueira

Vice-prefeita pede até R$4,3 milhões em recurso de ação contra Prefeitura

…………………………………..

Tem uma sugestão de reportagem? Clique aqui e envie para o Portal Nogueirense


ÚLTIMAS NOTÍCIAS



Comentários

Não nos responsabilizamos pelos comentários feitos por nossos visitantes, sendo certo que as opiniões aqui prestadas não representam a opinião do Grupo Bússulo Comunicação Ltda.