28/01/2019

Incidências de escorpião colocam moradores de Artur Nogueira em alerta

Moradores reclamam da falta de limpeza em córrego

Letícia Leme

O verão, estação mais quente do ano, tem despertado preocupação a população nogueirense. Além da alta temperatura, o período coloca os moradores em alerta devido ao número de ocorrências envolvendo escorpião. O número de registros de picadas do animal, em todo o país, foi de 114 mil no ano de 2018.

Um morador de Artur Nogueira encontrou um escorpião dentro do forro da residência dele no Jardim Planalto nesta sexta-feira (25). Ele contou que essa foi a terceira incidência do bicho nos últimos três meses. “Tenho cachorro e criança em casa, graças a Deus achei o escorpião antes delas. Não tenho jardim em casa, sempre mantemos o mínimo de coisas no quintal pra evitar a proliferação desse bicho e dos demais”, comenta.

Foto tirada pelo morador após captura do animal

Outra moradora, do Jardim Batistela, destaca que já até perdeu as contas de quantas vezes se deparou com escorpião. Ela acredita que o surgimento frequente só acontece devido às condições de um córrego próximo a casa dela, que não recebe limpeza há tempos.

“Meu filho já encontrou até cobras e aranhas próximo ao córrego e da medo, pois crianças ficam brincando na rua e correm o risco de serem picadas. Espero que as autoridades tomem alguma providência”, solicita.  A moradora já havia exposto o problema em ligações feitas à prefeitura, mas, até o momento, não houve retorno segundo ela.

Córrego próximo a casa da moradora; Cobras, aranhas e escorpiões foram vistos no local

A reprodução do aracnídeo se dá no mês de setembro, quando o clima ainda é quente e úmido, porém o surgimento em grandes proporções acontece no verão. Por isso, é necessário se atentar aos cuidados e formas de prevenção.

Como prevenir

A melhor forma de evitar a picada do escorpião, é evitando que ele entre em casa.  A orientação é usar telas em ralos de chão, pias e tanques, além de vedar frestas nas paredes e colocar soleiras nas portas. Os cuidados incluem ainda afastar camas e berços das paredes. Já em áreas externas, a principal dica é manter jardins e quintais livres de entulhos e folhas secas.

O lixo doméstico deve ser corretamente fechado, evitando a proliferação de baratas, da qual se alimentam os escorpiões. Além disso deve-se aparar a grama de tempos em tempos, pois o mato alto pode se tornar um esconderijo para o aracnídeo.

Logo que começar a escurecer, procure fechar as portas e janelas de casa. Os escorpiões são animais peçonhentos que costumam sair para buscar alimentos ou para acasalamento durante a noite. Sacudir roupas e sapatos antes de usar, checar os lençóis de cama antes de dormir, e verificar a toalha antes de tomar banho. Hábitos que, mediante a infestações, se fazem necessários.

Para moradores da zona rural, orienta-se a criação de galináceos (galos, galinhas), que são predadores do escorpião.

O que fazer caso um morador se depare com um escorpião

O setor de Vigilância em Saúde indica aos moradores que evitem qualquer contato direto com os escorpiões – sobretudo com as mãos e os pés. Orienta, ainda, que não sejam usados objetos curtos para manipulá-los.

Como proceder em caso de picada

A picada de escorpião, na maioria das vezes, causa poucos sintomas, como vermelhidão, inchaço e dor no local da picada, entretanto, alguns casos podem ser mais graves, causando sintomas generalizados, como enjoo, vômitos, dor de cabeça, espasmos musculares e queda da pressão, havendo, até, risco de morte.

Em caso de picada de escorpião, os primeiros socorros são: lavar o local da picada com água e sabão; manter o local da picada voltado para cima; não cortar, furar ou apertar o local da picada; beber bastante água; ir o mais rápido possível a um pronto-socorro ou ligar para o SAMU 192.

…………………………………………………………..

Tem uma sugestão de reportagem? Clique aqui e envie para o Portal Nogueirense.


ÚLTIMAS NOTÍCIAS



Comentários

Não nos responsabilizamos pelos comentários feitos por nossos visitantes, sendo certo que as opiniões aqui prestadas não representam a opinião do Grupo Bússulo Comunicação Ltda.