02/02/2018

Igreja Matriz de Artur Nogueira passará por grande reforma

Espaço religioso já possui 100 anos

Da redação

A Igreja Matriz da Paróquia Nossa Senhora das Dores, em Artur Nogueira, deverá passar por uma reforma arquitetônica, com início ainda este ano. O projeto, já desenvolvido, oferecerá um novo conceito tanto na parte interna quanto externa do templo centenário do município.

A mudança oferecerá mais conforto e comodidade aos frequentadores da igreja.

Assim, após a reforma do salão paroquial, agora será a vez da própria Igreja ser reformulada. Segundo o pároco Edson Tagliaferro, foi feito todo um projeto. “Já faz um ano e meio que há um arquiteto, especialista em espaços sagrados, fazendo um estudo sobre isso”, destaca. A previsão do início das obras ainda não foi dada, porém os interessados podem ajudar com doações para a reformulação do espaço religioso.

As doações podem ser feitas após o contato com a secretaria da Paróquia através do número 3877-2039.

Centenário

Refúgio de milhares de nogueirenses fervorosos, a Igreja Matriz da Paróquia Nossa Senhora das Dores já completou 100 anos. A história do local, que recebe semanalmente mais de 1.500 católicos devotos, teve início em 28 de julho de 1917, quando os pioneiros da vila que se tornaria o município de Artur Nogueira inauguraram a Capela de São Sebastião.

História

“Nossa história começa com a chegada da estrada de Ferro Funilense, isso no início do século passado. Em 1906, foi inaugurada a estação ferroviária de Artur Nogueira”, conta o pesquisador Geso Franco de Oliveira. “O então chefe da estação, Horácio Ramos da Cunha, juntamente com sua esposa, Ana da Cunha, foram os grandes impulsionadores do progresso da vila, como também idealistas da necessidade de uma capela no povoado”, explica.

Segundo o pesquisador, uma comissão foi criada na casa de Horácio Ramos Cunha para discutir o projeto em 8 de setembro de 1915. Estiveram presentes também João de Souza Leite, João Pulz, João da Cruz Andrade e Lourenço Arrivabene.

Incentivado pela reunião, João Pulz doou 920 mil réis, dos quais foram gastos 720 mil na compra de 40 mil tijolos. “Havia um projeto aprovado pela diocese que a construção seria de pedras e tijolos; o contrato para a construção da capela foi assinado em 1º de novembro de 1915 com o empreiteiro Miguel Friadossi que recebeu cerca de 500 mil réis pelos serviços”, afirma o Oliveira.

O terreno para a construção foi doado à Diocese pelo casal Emília e João Pulz. As obras demoraram menos de dois anos para serem concluídas. Em 28 de julho de 1917, aconteceu a inauguração e a bênção da Capela de São Sebastião.

Segundo Geso, estiveram presentes membros da comissão da obra, Conego Moyses Nora e pessoas da comunidade. “Eles saíram em procissão até a casa do Sr. José Sanseverino, onde em um lindo andor encontrava-se a imagem do Padroeiro São Sebastião, que fora doada pela sra. Maria da Gloria Sertório”, conta.

Até o ano de 1934, a capela recebia periodicamente padres de Cosmópolis (SP). Em 31 de outubro daquele ano, o lugar se transformou na Paróquia de Nossa Senhora das Lágrimas de Artur Nogueira, tendo como primeiro vigário o padre Cecílio Cury.

Em 25 de novembro do mesmo ano foi instalada a Paróquia Nossa Senhora das Dores, que continua com os trabalhos religiosos até os dias atuais, respondendo por seis comunidades católicas em Artur Nogueira: Nossa Senhora Aparecida (Rezek), São Sebastião (Itamaraty), Nossa Senhora Auxiliadora (Laranjeiras), São Vicente (São Vicente), Santa Terezinha (Blumenau) e São Bento (São Bento).

Confira fotos:

.……………………………………..

Tem uma sugestão de reportagem? Clique aqui e envie para o Portal Nogueirense.


ÚLTIMAS NOTÍCIAS



Comentários

Não nos responsabilizamos pelos comentários feitos por nossos visitantes, sendo certo que as opiniões aqui prestadas não representam a opinião do Grupo Bússulo Comunicação Ltda.