24/02/2015

A cada quatro dias um golpe é aplicado em Artur Nogueira

Bancos e idosos são os principais alvos de criminosos.

Diego Faria

Em 2014 a Delegacia de Polícia Civil de Artur Nogueira registrou 85 casos de estelionato no município, uma média de um golpe há cada quatro dias. Em 2013 foram registrados 89 casos de estelionato, uma queda de 4% em relação ao ano anterior.

Agências bancárias e pessoas idosas costumam ser os maiores alvos dos criminosos. O golpe chamado “chupa cabra”, onde o golpista insere uma espécie de leitor no caixa eletrônico do banco e faz a leitura da senha e dos dados da conta da vítima, favorece o saque dos valores da conta escolhida pelo criminoso. Idosos também costumam ser vulneráveis, pois ao pedir ajuda, por exemplo, muitas vezes acabam sendo vítimas dos estelionatários.

O delegado de Artur Nogueira, José Donizeti de Melo, diz que na maioria das vezes fica difícil encontrar os suspeitos pelo crime de estelionato, por se tratar de pessoas que vêm de outras cidades. “São poucos os suspeitos que são realmente encontrados, pois a maioria não é daqui da cidade, o que dificulta a prisão”, declara. O delegado ainda acrescenta que o uso de imagens internas de bancos colabora em muitos casos, como os de golpes via cartão. Esse método tem ajudado na identificação dos suspeitos.

Para evitar esse tipo de crime, segundo o delegado, é necessário não se iludir com o ganho fácil, como o caso do golpe do “bilhete premiado”. Já para os idosos, Donizeti lembra que não é recomendável pedir a ajuda de estranhos, se possível, o idoso deve estar sempre acompanhado no momento de sacar dinheiro ou pagar contas.

O crime de estelionato, segundo o Código Penal Brasileiro, é definido como crime econômico. Quando uma pessoa, ou o estelionatário, obtém vantagem para si por meio de algum ato fraudulento. A pena para esse tipo de crime é de 1 à 5 anos de detenção e/ou pagamento de multa.

Entre os atos que constituem o estelionato estão: pagamento com cheque sem fundo, comércio de produtos falsificados ou ainda a omissão e venda de algum produto com defeito, seja ele de origem eletroeletrônico ou não. Também a venda de um produto para mais de uma pessoa, ocasionando assim a não entrega do produto, ou fraude.

O crime de estelionato previdenciário é aquele praticado contra o órgão da Previdência Social. Nesse caso em específico, o Código Penal Brasileiro prevê o aumento de um terço da pena para o estelionatário.

A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ), desde 2012, tem como vigente uma lei que visa a redução de crimes não violentos, como é o caso do estelionato. De acordo com a proposta, se o estelionatário for réu primário e o prejuízo causado por ele for pequeno em valores, a pena que visa a reclusão, pode ser revertida pela pena de detenção ou o pagamento de multas. Essa proposta pertence ao projeto de lei nº 4894/2012, porém a proposta ainda não foi vigorada e segue em análise.

Veja alguns dos golpes aplicados em moradores de Artur Nogueira nos último meses:

Idosa perde mais de mil reais em ‘golpe do benzedor’ em Artur Nogueira

Idosa perde mais de R$ 5 mil no golpe do ‘bilhete premiado’ em Artur Nogueira

Aposentado perde R$ 3.300 após ser vítima de golpe espiritual em Artur Nogueira

Mulher perde R$ 5 mil em golpe do bilhete premiado em Artur Nogueira

Vítima de “golpe do cupim” perde R$ 2,7 mil em Artur Nogueira

Moradora de Artur Nogueira cai em golpe ao tentar adquirir smartphone pela internet

Duas mulheres são vítimas de golpes no centro de Artur Nogueira

golpe


Comentários

Não nos responsabilizamos pelos comentários feitos por nossos visitantes, sendo certo que as opiniões aqui prestadas não representam a opinião do Grupo Bússulo Comunicação Ltda.