25/03/2014

Guarda Municipal prende acusado de ter cometido estupro em Artur Nogueira

De acordo com a GM, homem estuprou mulher que estava a caminho do trabalho no início deste ano

A Guarda Municipal de Artur Nogueira prendeu no final da tarde de segunda-feira (24), um homem de 35 anos de idade, acusado de ter estuprado uma mulher no início deste ano.

Os guardas estavam fazendo patrulhamento pela Rua Magdalena Sanseverino Grosso, no Jardim Rezek, quando se depararam com o indivíduo. De acordo com a GM, o homem mudou de trajeto ao avistar a viatura, apresentando atitude suspeita.

Imediatamente, os guardas abordaram o indivíduo, que não portava nenhum documento de identidade. Ele passou um número de RG errado aos guardas, que suspeitaram ainda mais do homem.

O sujeito disse que estava trabalhando como pedreiro e que dormia no Ginásio do Itamaraty. Um dos guardas consultou um banco de imagens de procurados e encontrou uma foto muito parecida com o averiguado.

O homem foi conduzido até a Delegacia de Polícia, onde foi confirmado que ele era procurado pela Justiça. A mulher que foi estuprada esteve no local e reconheceu o agressor.

Ele recebeu voz de prisão e foi encaminhado para a Delegacia de Cosmópolis.

O caso

Uma mulher de 49 anos de idade foi estuprada na manhã do dia 3 de janeiro de 2014, em Artur Nogueira. Segundo informações da Guarda Municipal, a vítima estava indo trabalhar à pé, por volta das 6 horas da manhã, quando foi agarrada por um homem no bairro Humberto Rossetti.

Ainda de acordo com a GM, a mulher foi levada para uma área verde próxima ao local da abordagem e violentada sexualmente. Após o ato, a mulher conseguiu escapar e correr até uma padaria.

Os funcionários do comércio, vendo o desespero da vítima, acionaram a Guarda Municipal. A mulher informou para os guardas que conhecia o homem que a violentou, o que auxiliou nas investigações.

IMG_8899 Preso

Guia-interno


Comentários

Não nos responsabilizamos pelos comentários feitos por nossos visitantes, sendo certo que as opiniões aqui prestadas não representam a opinião do Grupo Bússulo Comunicação Ltda.