04/09/2018

Ex-chefe do almoxarifado tem prisão preventiva decretada em Artur Nogueira

Josimar Aparecido Cardoso permanecerá em prisão preventiva até nova data de audiência

Da redação

O ex-servidor público e chefe do Almoxarifado de Artur Nogueira, Josimar Aparecido Cardoso, ficará preso preventivamente até a marcação de uma nova audiência para julgar o caso de supressão de documentos públicos. A decisão é que novas testemunhas sejam ouvidas durante o processo, incluindo o secretário de Administração Anderson Guidotti. Michelli Galvão Daher, subordinada ao então funcionário do setor, se manterá em prisão domiciliar.

A nova audiência está marcada para dia 24 de setembro. Josimar se apresentou ao Fórum do município na presença de um advogado e acompanhado por policiais civis, após 72 dias da expedição de um mandato de prisão contra ele. A procura começou assim que a funcionária do setor – Michelli Galvão Daher -, subordinada a ele, foi flagrada destruindo arquivos da prefeitura e liberada para responder o processo em liberdade.

Entenda o caso

Uma funcionária do Almoxarifado havia sido flagrada por uma assistente do MP “picotando” alguns documentos em uma máquina. O caso aconteceu dia 21 de junho. Ao ser presa, a servidora alegou que cumpria ordens do superior dela para descartar os referidos documentos. Os papéis estavam ligados à uma investigação do MP sobre superfaturamento fiscal de merenda escolar no município, conforme revelado pelo promotor de Justiça, Dr. Pedro dos Reis Campos.

Ao ser submetida a uma audiência de custódia, a servidora recebeu liberdade provisória, mas responderá judicialmente pelo crime. Embasado no relato da funcionária, o juiz decidiu expedir um mandado contra o responsável pelo setor do Almoxarifado, local onde ocorria a destruição dos arquivos.

No dia do pedido de prisão do servidor, a Polícia Militar (PM) efetuou buscas ao investigado em departamentos da prefeitura e, também, em uma residência no Jardim Rezek, mas não o localizaram.

Posicionamento do Poder Executivo

De acordo com uma nota enviada ao Portal Nogueirense a respeito dos fatos, a assessoria de Comunicação da Prefeitura informou que “está acompanhando o caso de perto e aguardando o término das investigações do Ministério Público (MP) que envolve os dois servidores”. O Poder Executivo informou ainda que “uma sindicância interna será instaurada para tomar as medidas cabíveis, ressaltando que o setor está a disposição do MP para colaborar com as investigações”, finalizou.

Agora, o funcionário passará por nova audiência junto ao MP e ao juiz responsável pelo município para o esclarecimento de novos fatos.

Leia mais

Ex-chefe do almoxarifado de Artur Nogueira se apresenta à Justiça

“Fui bode expiatório de um conflito político”, diz ex-chefe do Almoxarifado de Artur Nogueira

Funcionária da Prefeitura de Artur Nogueira destrói documentos e acaba presa

Juiz pede prisão de chefe do Almoxarifado de Artur Nogueira

Servidor público de Artur Nogueira ainda não foi localizado

Ivan Vicensotti exonera chefe de Almoxarifado, mas ninguém assume cargo

……………………………………..

Tem uma sugestão de reportagem? Clique aqui e envie para o Portal Nogueirense.


ÚLTIMAS NOTÍCIAS



Comentários

Não nos responsabilizamos pelos comentários feitos por nossos visitantes, sendo certo que as opiniões aqui prestadas não representam a opinião do Grupo Bússulo Comunicação Ltda.