24/08/2013

Renato Carlini fala sobre as novidades da Expo Artur

Renato Carlini“A Expo Artur é a prova de que todo sonho pode se transformar em realidade” (Renato Carlini)

………………………..

Alex Bússulo

Com o objetivo de movimentar a economia local, divulgar o município e atrair turistas de todo o estado foi dada a largada para a Expo Artur, megaevento que acontece de 6 a 10 de novembro no Balneário Municipal Guilherme Carlini, em Artur Nogueira.

Entre todas as atrações, os shows sempre são aguardados. A oitava edição da Expo Artur trará Cristiano Araújo, Roupa Nova, João Neto e Frederico e Munhoz e Mariano, além de um show com a Rádio Transamérica, que reunirá artistas renomados [no texto abaixo, o presidente revela duas apresentações que prometem animar esta noite].

À frente de toda a comissão organizadora está o nogueirense Renato Carlini, que retorna a presidência do evento após dois anos. Renato sempre morou em Artur Nogueira e é um daqueles que visualizam um futuro promissor para o município. Amante do rock n’ roll, este nogueirense não esconde de ninguém que quer, um dia, promover o maior evento de rock da região – capaz ele é. Há anos também é um dos organizadores do Cultura Rock, evento que acontece mensalmente no Centro Cultural e que atrai pessoas de toda a região.

De volta à Expo Artur, Renato promete grandes novidades para 2013. Na entrevista desta semana, ele fala sobre as atrações, responde às críticas e diz por que o evento deste ano será o melhor de todos. Confira:

Depois de dois anos, você retorna à frente da Expo Artur, assumindo como presidente. A que se deve este retorno? Primeiro é importante frisar que saí porque precisava refrescar um pouco a minha cabeça. Estava muito cansado físico e mentalmente. Afinal de contas, foram seis anos à frente deste projeto, o que acabou gerando um stress e desgaste familiar muito forte. Como qualquer ser humano, precisei de um tempo. Neste período, o Fernando Silva foi escolhido como presidente e exerceu muito bem o seu mandato, que durou dois anos. Foi um período que eu nunca me desliguei da Expo, mas não precisava tomar as principais decisões, embora me mantive ligado ao pessoal da Expo assim como com a parte estrutural, pois nesses anos que fiquei como presidente enfrentamos muitas dificuldades. Passados duas edições, conversei com meus amigos e, principalmente, com a minha família, a respeito de minha volta e tive total apoio. Outro fator que contribuiu foi a vinda de Celso Capato como prefeito de Artur Nogueira, um homem que tem uma visão que a cidade e a Expo Artur sempre precisou. Ele me deu muito apoio e disse que estaria disposto a fazer com que o nosso evento atingisse o objetivo que todos nós, nogueirenses, há anos estamos perseguindo. Estou de volta!

Quais serão as principais novidades da Expo Artur 2013? Bom, primeiro que reformulamos toda a infraestrutura do evento. A começar pela alteração dos locais dos camarotes e arquibancadas. Estamos também trabalhando para aumentar os espaços dos expositores. Também retornaremos com o Tractor Road, um desfile de tratores que deve acontecer em outubro, antecipando as atrações de novembro.

Também teremos um dia de graça para a população… Isso. Na verdade quem teve essa ideia foi o prefeito Celso Capato. Um dia para que toda a população de Artur Nogueira pudesse curtir uma festa gostosa sem precisar pagar nada. Após esse pedido do prefeito, fomos atrás e fechamos uma parceria com a Rádio Transamérica a qual se dispôs, através da Sâmor Promoções Artísticas, a trazer vários artistas de renome nacional, tais como Jads & Jadson, César Menotti & Fabiano, entre outros cantores. Promete!

Havia uma expectativa de termos um show gospel neste ano, com o cantor Regis Danese. Por que não deu certo? De fato, cogitou-se a vinda do Regis para a Expo Artur. Confesso que queria muito trazer esse show para o nosso evento, até porque atrairíamos um público muito importante, os evangélicos. Tenho certeza que seria um sucesso. Fizemos de tudo para dar certo, porém esbarramos no problema da montagem da praça de alimentação, que teria que ser montada no dia do evento, o que é impossível, pois precisamos do alvará do Corpo de Bombeiros, o qual se deve dar entrada no fórum com antecedência. Seria ótimo para a Expo Artur e também para os nogueirenses este show, mas nossa estrutura não estaria pronta. Também não conseguimos alterar ou substituir os shows porque os artistas deste ano já estavam agendados. Mas teremos outras edições e, com certeza, faremos o possível para trazer o Regis Danese ou outro artista gospel.

Renato Carlini

Pela segunda vez, a data da realização do evento é mudada para novembro, ao invés de outubro, como já era de costume. Por qual razão? Simplesmente para não concorrermos com o Paulínia Arena Music (PAM), que acontece em outubro. Não dá para disputarmos com um evento deste porte, ambos perdem, afinal o público é praticamente o mesmo. Ano passado fomos prejudicados, pois muitos visitantes foram para Paulínia ao invés de virem para Artur Nogueira. Foi isso. Agora, queremos fixar este evento no calendário cultural e turístico de nossa região sempre para novembro.

Durante à noite teremos vários shows, além do rodeio. O que está sendo preparado para atrair o público durante o dia? Na verdade, sempre foi uma dedicação da nossa comissão em aproveitar a infraestrutura do evento e promover atrações para a população durante o dia e de graça, mas confesso que a cada ano isso se torna mais difícil.

Por quê? Para atrair o pessoal é necessário ter novidade. Não adianta colocar algo que todo mundo já viu porque não vai ninguém. E essa novidade é complicada em ser criada, principalmente quando não se tem dinheiro para investir nestas atrações. Porém, neste ano já estamos articulando, em conjunto com a Secretaria de Cultura e Turismo, através do meu amigo e secretário Leandro Queiroz, o Gugu, para que viabilizemos exposições culturais, tais como pinturas, apresentações de espetáculos teatrais e de danças, além de shows com artista regionais. Algo simples, mas com uma magia parecida com a do Festival de Inverno, que agradou todo mundo. Queremos fazer um tipo de festival dentro da Expo, com a Corporação Musical 24 de Junho, o Bloco da Vaca, o Movimento Cultural Brincantti, o artista plástico Tomás de Aquino, o Glauco, o Russo Jazz Band e nossas bandas e cantores.

E a parte da exposição? Lembro-me que no primeiro ano, a festa contou com muitos estandes de comércios, além de exposições de cavalos e bois. Por que, de alguns anos para cá, estas exposições diminuíram? Uma exposição comercial só pode ser feita com a participação do comércio. Não tem segredo. O que acontece aqui, em Artur Nogueira, é que a maioria dos empresários ainda não conseguiu entender como funciona a Expo Artur. Muitos montavam estandes enormes achando que iam vender muito, mas o objetivo de uma feira de exposição, como é o caso da Expo Artur, é expor, não vender ali no ato. Vou ser mais claro, quando você vai no Anhembi, em São Paulo, no Salão do Automóvel, várias empresas do setor automobilístico estão ali para mostrar os seus produtos, é uma verdadeira guerra de lançamentos, mas nem um carro é vendido naquele local, ali é apenas para mostrar, expor! É o marketing funcional da empresa. A mesma coisa deveria acontecer na Expo Artur, visto que acredito que grande parte do comércio que existe aqui não é conhecido pelo próprio nogueirense. É uma crítica forte, mas se você parar para pensar vai chegar a uma conclusão parecida. O comerciante deveria acreditar mais no potencial da Expo Artur e agregar o seu produto e o seu serviço neste evento, que tem tudo para ser um dos melhores da região. A própria Acean deveria estar conosco, assim como há anos atrás, porque juntos, com o potencial que a associação comercial tem, ambos sairiam ganhando, mas quem mais se beneficiaria seriam os associados. Neste ano, os estandes serão maiores, os espaços serão cedidos sem nenhum custo ao empresário, ficando a critério de cada empresa a parte da estrutura.

Você disse recentemente que uma das propostas das Expo Artur é ‘expor’ o município. Como pretende fazer isso? O evento, por si só, já atrai muita gente de fora. Isso é a mais pura verdade. Fazemos um evento para os nogueirenses e também para atrair turistas. Pessoas que vem de outras cidades e até estados para curtir os nossos dias de festa. O que devemos fazer, primeiramente, é aproveitar este público e mostrar a eles o que Artur Nogueira tem de bom durante todo o ano, não apenas na realização da Expo, mas sim de janeiro a dezembro, pois sabemos que Artur Nogueira tem muita coisa maravilhosa e que apenas precisa de uma vitrine. Ah, ainda temos uma grande novidade, que já vinha me esquecendo, este ano lançaremos uma revista, que trará todas as novidades da Expo Artur, mas que também vai ‘vender’ o município de Artur Nogueira. Em breve darei mais notícias sobre este trabalho.

Não é estranho um evento que quer expor as belezas da cidade ter como rainha uma guaçuana? Não. O nosso objetivo é agregar pessoas da região para que com isso conheçam as nossas qualidades. É bom deixarmos bem claro que quando abrimos as inscrições para o concurso todas as mulheres de Artur Nogueira poderiam participar, falta de divulgação não foi! Haja visto que tivemos mais de 40 mulheres inscritas e no dia da primeira eliminatória só apareceram 12. Em Artur Nogueira tem muita mulher bonita, isso todo mundo concorda, mas eu não sei o que acontece, talvez elas tenham medo, vergonha ou até preconceito em participar de um concurso de beleza. É o mesmo problema que o Paulinho Munhoz enfrenta no Miss Artur Nogueira. Aí vem uma moça de fora, o que é permitido, participa e ganha. Seria injusto se a comissão simplesmente pegasse uma mulher de fora, sem dar a oportunidade para as nogueirenses, e a colocasse como rainha. O que não fazemos. A oportunidade foi dada a todas, sem nenhuma interferência da comissão. Quem escolheu foram os jurados, que entendem do negócio.

Renato Carlini

As entidades nogueirenses participarão do evento? É aquilo que eu já te disse. Estamos abertos para as parcerias. Reconhecemos a importância de todas as entidades de Artur Nogueira. Sempre pensei em fazer um almoço temático no sábado e no domingo, onde as entidades encaixariam, visto que teremos atrações diurnas nas quais completariam uma belíssima tarde. Falta diálogo por parte das entidades conosco para que possamos utilizar, com criatividade, o espaço que temos de dia trazendo a população para se alimentar e se divertir contribuindo com o orçamento de cada entidade. À noite, não podemos deixar as entidades lá dentro, pois temos um contrato com a empresa responsável pelos shows a qual comercializa a praça de alimentação, e esta receita é responsável por parte do pagamento da infraestrutura.

Renato, você é um cara apaixonado por rock. Porém, todos os shows que animarão o evento deste ano são sertanejos, exceto o Roupa Nova, que se encaixaria como MPB. Não daria para trazer um grupo de rock, assim como já aconteceu em outros anos? Existe um preconceito de ambas as partes. É complicado colocar um roqueiro dentro de um rodeio, do mesmo jeito que é complicado colocar um show de rock onde só tem sertanejo. O custo de um show de rock em todos esses anos que estive como presidente, não se cobria. Uma vez que o público não comparecia. Então, prefiro investir em um palco cultural trazendo bandas que fazem covers de rock e deixar as grandes bandas nacionais para um futuro festival de rock em Artur Nogueira. Minha vida é rock n’ roll, mas não adianta insistir, a maioria do público de rodeio é sertanejo.

Vamos falar sobre o apoio dado pela Prefeitura na realização deste evento. Existem algumas pessoas que não concordam com a destinação desta verba. Qual benefício o município tem em troca desta ajuda? Vou repetir palavras de uma das aberturas da exposição da Expo Artur. Quem esteve lá vai lembrar. Dentro de nosso município existem vários tipos de pessoas, cada um com o seu gosto, eu por exemplo, acho um desperdício de dinheiro o Carnaval, acho um desperdício de dinheiro construções de campos de futebol, enfim, não pulo Carnaval, não jogo futebol, não ando de skate, sou um verdadeiro sedentário, mas um bom administrador tem que enxergar nessa complexidade da sociedade e agradar a maioria, assim é com a Expo Artur. Da mesma maneira que tem muita gente que acha que isso é muito dinheiro, tem muita gente que acha que é pouco, que deveríamos trazer shows mais caros, várias vezes fomos cobrados para trazer o Jorge e Matheus, que hoje custa na faixa de R$ 300 mil, a Ivete Sangalo também nessa faixa. Em vista de alguns municípios, o que Artur Nogueira investe em nosso evento é pouco. O que significa R$ 200 mil perto de R$ 100 milhões, que é o orçamento anual da Prefeitura. As pessoas confundem as coisas achando que o buraco da rua dela ou que o médico que está no Pronto-Socorro não está legal, porque esse dinheiro está sendo colocado na Expo Artur, mas uma coisa não tem nada a ver com a outra.

Como assim? Por que as pessoas saem passear e às vezes deixam de reformar as próprias casas? Por que elas assumem uma dívida de uma carro e pagam aluguel a vida inteira? Quem está certo ou errado? Talvez, estejamos tentando achar um bode expiatório usando a Expo Artur como para-raios. Sejamos conscientes que dentro do município existem gregos e troiano. A Expo Artur trouxe para grande parte dos nogueirenses o orgulho de poder realizar um evento deste porte para uma cidade com 50 mil habitantes. Não é para qualquer um. Muitos fazem, ou tentam fazer, utilizando os cofres públicos mais com o intuito de política do que com a ideia de um grande evento. Nada que é bom custa barato. A Expo Artur tem um custo que pode chegar a R$ 1 milhão, sem a ajuda da Prefeitura seria impossível a realização deste evento. O comércio, principalmente de vestuário, conta os dias para o início da Expo Artur, pois muita gente compra roupas, sapatos. Hotéis de Artur Nogueira e região ficam lotados nos dias de festas. Restaurantes, durante o dia, também. Pessoas que nunca imaginavam vir para cá voltam, pois com a beleza de nosso município, com a nossa gastronomia, tem uma opção de comércio e lazer. O que fortalece o turismo de nossa querida Artur Nogueira. Sem contar, que cada vez mais a Expo Artur, o Carnaval, o Festival de Inverno, Encontro de Motociclistas, a Pista de Arrancadas, os nossos eventos evangélicos e católicos, nossas praças, tudo isso junto, está atraindo investimento do Estado.

Para finalizarmos, o que é mais difícil fazer na Expo? Inovar, porém necessário.

Fotos: Renan Bussulo

Renato Carlini

Renato4Caricatura: Tomás de Aquino


Comentários

Não nos responsabilizamos pelos comentários feitos por nossos visitantes, sendo certo que as opiniões aqui prestadas não representam a opinião do Grupo Bússulo Comunicação Ltda.