01/11/2014

ENTREVISTA: Edson Croife fala sobre novo livro

Escritor nogueirense lança obra sobre micos em Artur Nogueira

capa3“Quero eternizar histórias para que as próximas gerações saibam o que aprontamos”

………………………

Alex Bússulo 

Croife é daquele tipo de pessoa que não dispensa uma boa conversa. Divertido, vive sorrindo e fazendo os outros sorrirem também. Nascido e criado em Artur Nogueira, ele já fez muitas coisas nessa vida. Já foi vereador, candidato a prefeito, locutor de rádio, corretor de imóveis e, desde 2011, descobriu uma nova paixão: a literatura.

Há três anos, Edson Croife lançou em Artur Nogueira uma biografia que retratava várias passagens e momentos da própria vida. O livro teve sucesso de vendas e esgotou todos os exemplares em poucos dias.

Agora, ele se prepara para mais um grande evento. No sábado, 1º de novembro, acontecerá o lançamento do livro “Nossos Micos e Outras Histórias”, na Sede Social do Clube Recreativo Floresta, em Artur Nogueira.

Desta vez, o escritor nogueirense traz uma obra com muito humor que relembra os grandes micos cometidos por ele e por moradores e amigos aqui do município ‘Berço da Amizade’. Na entrevista a seguir ele nos conta como teve a ideia de escrever o novo livro e como foi o trabalho de reunir todas as histórias. Confira:

Como surgiu a ideia de escrever um livro sobre micos? Alex, a ideia surgiu após o lançamento do meu primeiro livro, “Nossas Histórias”. Várias pessoas que leram o livro acharam muito engraçado aqueles episódios nos quais relatava as artes que eu aprontava e não eram poucas! Então recebi várias sugestões deles para que escrevesse um livro de humor. Daí um dia em oração, eu pedi ao “Chefão”, Deus, e ele me inspirou a fazer um livro sobre os micos que aconteceram comigo e com os meus amigos.

Quantas histórias estão reunidas neste novo livro? Nesse livro estão reunidas aproximadamente 540 histórias de micos. As pessoas me traziam os micos, mas relatavam só o que tinha acontecido, digamos de uma forma seca. Então tive que mergulhar na imaginação do que havia acontecido, fazer todos os enredos dessas histórias e por incrível que pareça consegui com sucesso!

1

Todas são verdadeiras? Sim, Alex. Todos os micos que estão no livro aconteceram realmente. Existem umas cinco histórias que estão de forma anônima porque os donos desses micos não autorizaram publicá-los com os seus respectivos nomes.

Qual critério você usou para selecionar os micos? Eu estava vendo um cronograma usado para escrever um livro e ele diz que devemos colocar nas primeiras páginas as histórias mais bonitas deixando as piores para o final para, com isso, impressionar o leitor. Eu não usei esse sistema! Comecei pela primeira história e acabei na última, respeitando a ordem em que elas apareceram e foram escritas. Cada um que ler este livro, desfrute das melhores histórias conforme sua sensibilidade.

O que é um bom mico? Um bom mico, a meu ver, é aquele que quando lido ou contado verbalmente provoca uma sensação de riso imediato nas pessoas.

2

Como foi o trabalho de reunir todas as histórias? Quanto tempo levou para a escrita? No começo foi muito difícil, pois as pessoas não queriam ver seus micos publicados. Foi um trabalho de formiguinha, tive que ir escrevendo alguns deles e ir mostrando para diversos amigos. Com muito jeito fui convencendo todos a publicá-los. Essa obra demorou dois anos para ser concluída e escrita.

São histórias de amigos, mas também tem micos seus também, não é mesmo? Alex, a maioria dessas histórias aconteceram com meus amigos. Micos meus existem vários, mas o maior deles paguei na Cidade Judiciária, em Campinas. Ao ler o livro vocês descobrirão o que é. Suspense!

A capa do livro foi inspirada em uma foto de verdade. Como e onde foi isso? A capa desse livro foi inspirada numa foto real que foi tirada numa pescaria que fiz na Amazônia com meus amigos: o cinegrafista José Ferreira Filho e a repórter Helen Sacconi, da EPTV Campinas, em 2009. Nela estou com o macaco Nicolau em minha cabeça. O trabalho dessa capa foi muito bem desenvolvido pelo meu amigo Renan Bússulo, que inclusive faz parte da sua equipe de trabalho e foi aprovada por várias pessoas. Ela ficou nota mil!

IMG_7270

Em dezembro de 2011, você publicou o livro ‘Nossas histórias’, que reuniu aventuras e fatos que marcaram a sua vida. O lançamento e as vendas foram um sucesso. Espera repetir o resultado neste novo livro? Quais são as expectativas? Espero sim, porque quando você faz algo com amor à coisa flui. Eu não viso lucro algum nos livros que faço. Apenas viso eternizar essas histórias para que as futuras gerações possam ter conhecimento dessa época em que estamos vivendo e saber como às vivemos, nesse caso específico: o que aprontamos! A expectativa para o lançamento deste livro é de casa cheia.

3

Qual a diferença entre os dois livros? A diferença quase não existe. O livro: “Nossas Histórias” foi uma autobiografia onde relatei, de forma compacta, do emocional ao humor, tudo o que passei com meus amigos. Nesse segundo livro: “Nossos Micos e Outras Histórias” acho que a dose de humor vem de forma pouco mais exagerada, isso é bom porque rir nunca fez mal a ninguém. O riso é um medicamento 100% orgânico, gratuito e contagiante, liberando endorfinas que nos dão uma sensação de prazer e bem estar.

O que é mais difícil ao publicar um livro? Como foi esse processo? O processo não é nada fácil, primeiramente temos que ter muita perseverança para não acabar desistindo no meio do caminho. A segunda é a mais difícil de todas. A parte financeira, pois para fazer um livro não fica barato. O mais difícil, porém, são os acessórios que obrigatoriamente tem que ser incorporados ao livro, por exemplo: arte da capa, código de barras, diagramação, taxa da Biblioteca Nacional no Rio de Janeiro, correção e impressão. Isso já eleva o custo desse livro em mais 60%. Depois vem o lançamento: você tem despesa com aluguel de um Clube, cadeiras, toalhas, mesas, copinhos, salgadinhos, bebidas, convites, envelopes, selos nos correios, show musical, garçom e muitas outras despesas que acabam somando ao custo desse livro mais ou menos 30%. Eu gastei na produção desse livro aproximadamente R$ 21 mil.

E por quanto será vendido cada exemplar? Vou vender um exemplar por R$ 30 e dois por R$ 50.

Quais são seus planos? Pretende publicar outros livros? Os meus planos, enquanto Deus me permitir viver, é continuar escrevendo, registrando tudo como disse anteriormente para deixar nossa história para as próximas gerações. Já estou com dois novos trabalhos em andamento: “Nossos Micos II”, que já está com 50 páginas concluídas e “Comerciantes de Artur Nogueira, Edição Histórica”, que já está praticamente com 50% da obra concluída. Esse segundo será um pouco mais demorado, pois demanda muita pesquisa. Esse livro trará toda a história do nosso comércio local desde a primeira vendinha. Será a meu ver, uma obra considerada o “Top” da nossa história.

Como será o lançamento do livro? O lançamento acontece neste sábado (1), às 20 horas, na sede social do Clube Recreativo Floresta, no Centro de Artur Nogueira. Haverá shows e o principal objetivo desse encontro é reunir os amigos para um bate papo bem descontraído dentro dessa noite de autógrafos. Embora moremos na mesma cidade nós estamos muito distantes um dos outros. A nossa rotina estressante e a loucura por aumentar nosso capital não são coisa boas, nem prioridade para quem quer ter uma vida saudável. Lembrem-se se tivermos um “piri-pac” nós não vamos levar nada daqui. Reflita! Temos que mudar esse conceito e a nossa forma de viver. Espero vocês lá. Fiquem com Deus…

mosa


ÚLTIMAS NOTÍCIAS



Comentários

Não nos responsabilizamos pelos comentários feitos por nossos visitantes, sendo certo que as opiniões aqui prestadas não representam a opinião do Grupo Bússulo Comunicação Ltda.