05/12/2010

Fernando Arrivabene e as obras da avenida

Na entrevista desta semana conversamos com o secretário de obras de Artur Nogueira sobre as obras realizadas na Av.Dr. Fernando Arens. Arrivabene nos falou sobre os atrasos, os latões de lixos que ficavam no local, dos ipês que serão plantados e da importância da reforma

QUAIS FORAM OS MOTIVOS QUE LEVARAM A PREFEITURA A REALIZAR AS OBRAS NA
AVENIDA? Bom, primeiro que o pavimento estava em condições precárias. Foram anos e anos sofrendo tapa-buracos e estava daquele jeito. Resolvemos reformar os canteiros, pois da forma como era, ocasionava muitos acidentes. Sejam com veículos, sejam com pessoas, sejam dos veículos nos canteiros. Aquilo era uma loucura. Existia muito vandalismo com os canteiros altos, e estamos vendo com as guias baixas também. Verifique que estamos reforçando as esquinas por conta da falta de educação dos motoristas, as guias foram feitas exatamente no mesmo lugar dos canteiros altos, mas agora passam por cima.

HÁ QUANTO TEMPO A OBRA ESTÁ EM ANDAMENTO? Tivemos que iniciar o recapeamento um pouco antes do previsto, pois de acordo com a lei eleitoral, o prazo era três meses antes da eleição para início da obra, ou somente depois de novembro. Caso não fizéssemos isso, passaríamos o período de festas e de chuvas em obras, o que seria terrível para o comércio. Esse é o tipo de agonia que a gente passa, e ninguém fica sabendo…

O QUE JÁ FOI FEITO? Já fizemos o recapeamento da Avenida, demolição do canteiro antigo, construção de guias e calçadas em alguns trechos.

O QUE FALTA FAZER PARA CONCLUIR AS OBRAS? Estamos reforçando as esquinas, uma vez que os veículos estão danificando as guias prontas. Vamos fazer uma base de concreto nas esquinas mais problemáticas, e isto vai atrasar a conclusão um pouco. Falta também a sinalização de piso, mas já será feita nos próximos dias. Já está sendo feita na Duque de Caxias, a próxima será a Fernando Arens.

POR QUE HOUVE ATRASO? Por uma série de motivos. Primeiro, foi o atraso na entrega das pedras. Segundo, foi a demora na liberação dos recursos do convênio do recapeamento por causa da eleição federal e terceiro, foram os atos de vandalismo nas obras.

NO CANTEIRO AO LADO DO CORETO, ONDE É MONTADO O PALCO DO CARNAVAL, TAMBÉM SERÃO PLANTADAS ÁRVORES E GRAMA? ISSO NÃO VAI ATRAPALHAR O EVENTO? POIS O PÚBLICO COSTUMA FICAR EM CIMA DESTE LUGAR. Inicialmente seguirá como toda a avenida, mas estamos estudando em alguns locais fazer a calçada um pouco maior, no início do ano que vem. As árvores serão plantadas em toda sua extensão.

FORAM RETIRADOS OS LATÕES DE LIXOS QUE FICAVAM EM CIMA DOS CANTEIROS, QUE ERAM UTILIZADOS PELOS COMERCIANTES. POR QUÊ? SERÃO COLOCADOS OUTROS? Os latões foram retirados durante a execução da obra, pelo que tenho de informação. Estamos estudando outra forma de coletar o lixo, pois em cidade nenhuma você vê aqueles latões numa avenida principal. Talvez lixeiras mais adequadas, mas estamos vendo as possibilidades.

QUAL ÁRVORE SERÁ PLANTADA? Definimos o Ipê Amarelo.

POR QUÊ? Por ser uma árvore de porte pequeno, nativa da região e com uma floração muito bonita, e quando formos reformar a avenida em definitivo, ela poderá ser replantada em outro local.

ENTÃO A OBRA NÃO É DEFINITIVA? Existe um plano maior para a avenida, que é transformá-la em mão única, com alargamento das calçadas, com ciclovia e sem os canteiros centrais, com ou sem os postes no meio da rua.

MAS POR QUE NÃO FOI FEITO TUDO AGORA? Não fizemos ainda simplesmente por questões orçamentárias… Mas tudo o que foi feito agora, será reaproveitado. O conceito da obra foi esse. As árvores, as pedras das guias, tudo será reaproveitado.

QUANDO ESTAS OBRAS SERÃO CONCLUÍDAS? A estimativa é para o dia 17 de dezembro.

Fernando Arrivabene, secretário de obras de Artur Nogueira

Canteiros terão passagens

Comerciantes depositam sacos de lixo sobre o canteiro

Um pé de milho brotou ao meio das obras


ÚLTIMAS NOTÍCIAS



Comentários

Não nos responsabilizamos pelos comentários feitos por nossos visitantes, sendo certo que as opiniões aqui prestadas não representam a opinião do Grupo Bússulo Comunicação Ltda.