07/09/2014

ENTREVISTA: Cristiano Bervint

Pastor fala sobre programas de combate às drogas em Artur Nogueira

Pastor Cristiano“As drogas nada mais são que uma consequência externa de uma ferida interna na vida” (Cristiano Bervint)

………………………………..

Alex Bússulo

Ele é pastor da Igreja Missão Vida e há 18 anos se dedica na recuperação de usuários de drogas. Este nogueirense é o idealizador da Comunidade Vida Melhor, localizada no Bairro da Ponte de Tábua, em Artur Nogueira, que oferece ajuda aos dependentes químicos da cidade e região.

Recentemente ele inaugurou o Centro Terapêutico Gerizim, também em Artur Nogueira, que vai oferecer atendimento psiquiátrico, psicológico, clínico e espiritual para os dependentes. Em todos esses anos, ele afirma já ter ajudado mais de 1200 pessoas.

Na entrevista desta semana, pastor Cristiano Bervint fala sobre os projetos sociais e programas de combate às drogas em Artur Nogueira e explica o que leva uma pessoa a se tornar um dependente químico.

Pastor, o que o senhor diria para aquela pessoa que está enfrentando problemas com drogas e não consegue mais ter esperança de uma nova vida? Ou ainda para aquela mãe ou pai que convivem com filhos drogados? Alex, para responder a essa pergunta gostaria de tomar como base um personagem bíblico, chamado Jairo. Trata-se de um homem bem relacionado e de uma posição importante na Sinagoga que estava passando por um momento de grande provação. Ele tinha uma filha de 12 anos que estava com uma enfermidade que a levaria a morte. A bíblia relata que ele não desistiu e buscou ajuda em Jesus. Como consequência de sua busca, mesmo depois que a filha havia falecido, ele não perdeu a esperança. Acreditava que o Senhor poderia fazer algo que humanamente seria impossível de resolver, mas através de Jesus houve vida novamente. Ou seja, as famílias precisam buscar em Deus a esperança de libertação para seus entes queridos.

O que leva uma pessoa a se envolver com drogas? São vários os fatores que levam uma pessoa a se envolver com o submundo das drogas. Gostaria de mencionar alguns desses fatores como, por exemplo, a estrutura familiar, influência de amigos, curiosidade e, nesses últimos tempos, a mídia que tem exercido esse papel através de músicas que falam sobre ostentação trazendo uma péssima influência aos jovens.

De que forma podemos construir uma sociedade sem o vício das drogas? Isso é possível ou não passa de utopia? Desenvolvendo campanhas de prevenção nas escolas para todas faixas etárias, principalmente para adolescentes. Penso também que as igrejas em geral deveriam exercer mais esse papel. Saindo do que chamamos das 4 paredes e envolvendo nossas crianças e adolescentes na evangelização. Imagino que no conjunto de tudo isso amenizaríamos o problema, mas não o eliminaríamos. Infelizmente isso não passa de utopia.

Pastor Cristiano

Qual é a droga mais perigosa da atualidade? Sem dúvidas o álcool, pois é liberado e de fácil acesso. Ele é o responsável por 70% das mortes por acidentes no Brasil.

Quantas pessoas o senhor calcula já ter ajudado a deixar as drogas? Alex, me converti em 1996, ou seja, há 18 anos venho por meio da palavra de Deus assessorando na recuperação de pessoas. Nunca parei para fazer esses cálculos, mas se tratando da Comunidade Vida Melhor, onde precisamos anualmente fazer os relatórios quantitativos, estimamos que pelo menos umas 1200 pessoas já foram ajudadas das quais cerca de 70% obtiveram êxito no tratamento.

É possível abandonar a dependência das drogas por conta própria, sem ajuda clínica ou espiritual? Eu imagino que por um período bem curto a pessoa abstém-se do uso das drogas, porém mais cedo ou mais tarde ela acaba voltando ao uso por não ter sido curada a ferida que é a causa do uso. Ou seja, as drogas nada mais são que uma consequência externa de uma ferida interna na vida e que só Jesus pode curar.

Como a família de um dependente deve agir antes, durante e ao terminar um tratamento? Hoje em dia temos muitas pessoas especializadas e sérias que oferecem esse tipo de ajuda. Entendo que a família, ao detectar o problema, deva agir o mais rápido possível buscando essa ajuda e participar ativamente durante o tratamento que lhe é oferecido, sem se isentar de suas responsabilidades como família. Obviamente no término do tratamento necessita que essa família esteja preparada para receber o ente querido de volta e essa preparação deve se buscar através dos grupos de apoio como Amor Exigente, N.A., A.A., entre outros grupos especializados na área.

O que fazer quando um usuário não quer deixar de usar droga? Alex, durante anos eu fui radical nesse quesito entendendo que deveríamos tratar somente dos que querem ser tratados. Mas mudei meu discurso nesses últimos anos, pois as drogas que hoje são ingeridas ou inaladas estão muito potencializadas de maneira que a pessoa perde totalmente a razão de entender o que é de fato bom para ela. Talvez até porque perdeu a esperança e não encontra saída para o seu problema, assim sendo devemos, como família e sociedade em geral, agir para o bem dessa pessoa, que oferece risco para si mesmo e para outros que estejam a sua volta, utilizando das internações involuntárias prevista na lei (10.216/01), que na sua maioria tem dado um excelente resultado.

Pastor Cristiano

O senhor acha que a escola trata o assunto drogas de forma correta? Eu acredito que as coordenadoras de ensino têm buscado ajuda nesse sentido por se preocuparem. Até porque elas estão mais próximas do problema que envolvem alunos. Eu mesmo recebo vários convites para palestrar em algumas escolas, já tentei através de projetos somar com as escolas mas as vezes se torna burocrático demais querer ajudar por vários fatores. Mas, respondendo a essa pergunta, acredito que dá para melhorar.

O senhor declarou recentemente que estima que existam pelo menos 3 mil dependentes químicos em Artur Nogueira. Como combater, de forma eficaz, as drogas em um município como o nosso? Primeiramente sentando com as autoridades locais ligadas a saúde, promoção social, segurança pública e pessoas ligadas diretamente nesse assunto, como líderes de grupos de apoio, de comunidades terapêuticas, líderes religiosos. Se faz necessário que Artur Nogueira tenha o Conselho Municipal Antidrogas (Comad), que viabiliza recursos voltados para a prevenção das drogas nos municípios brasileiros e que dê uma forma mais eficaz minimizaria o problema com drogas.

Como surgiu a ideia de criar o Centro Terapêutico Gerizim? O Sítio Gerizim veio em nossas mãos com a finalidade de criar um centro de recreação para os jovens de nosso município, com trabalhos realizados pelas igrejas. Mas no decorrer dos dias foi se mudando a visão para o local. Enquanto isso nós necessitávamos de um espaço que pudesse atender os casos involuntários de dependentes de nosso município e região. Por sugestão de alguns líderes decidimos então transformar o local e criar o que hoje é uma realidade: o Centro Terapêutico Gerizim.

Qual é a diferença entre a Comunidade Vida Melhor e o Gerizim? A Comunidade atende os casos voluntários que não necessitam ser medicados, até porque a lei não nos permite. Trabalhamos de acordo com a RDC 29/2011, que prevê a recuperação através da convivência entre as pessoas. Já no Gerizim, os involuntários são aqueles que muitas vezes precisam ser medicados e assistidos por uma equipe técnica especializada. Para melhorar a assistência a dependentes químicos e familiares do município, nossa equipe inaugurou recentemente um escritório no centro de Artur Nogueira. O espaço é destinado a realizar triagem, atendimento a familiares e tirar dúvidas. Nesse local será realizado grupos de apoio, atendimento psicológico, psiquiátrico e espiritual tanto para pacientes da comunidade Vida Melhor quanto do Centro Terapêutico Gerizim. Os atendimentos serão realizados de segunda as sextas-feiras das 8 às 17 horas e sábado até as 12 horas. O escritório fica localizado na rua Rui Barbosa, 697.  Em caso de emergência os interessados podem entrar em contato pelo 9 9760-7562.

Pastor Cristiano


ÚLTIMAS NOTÍCIAS



Comentários

Não nos responsabilizamos pelos comentários feitos por nossos visitantes, sendo certo que as opiniões aqui prestadas não representam a opinião do Grupo Bússulo Comunicação Ltda.