31/03/2019

Enfraquecimento do Mais Médicos tem reflexo em Artur Nogueira

Devido a falta de renovação contratual, sete profissionais já deixaram de atuar na cidade

Diego Faria

O enfraquecimento do Programa Mais Médicos no Brasil tem gerado reflexos também em Artur Nogueira. O município não teve renovação de contratos ligados ao programa, com isso, profissionais estão sendo desligados da atuação na cidade. Apesar desta realidade, a administração do município garante que os atendimentos nas unidades de saúde continuam a ser realizados normalmente.

O Programa Mais Médicos foi criado em 2013 pelo Governo Federal, sob a gestão da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), com o objetivo de atender municípios e comunidades com carência de cobertura médica pelo Sistema Único de Saúde (SUS). As mudanças em relação ao programa começaram a ser anunciadas desde novembro do ano passado (2018), pelo atual presidente da República Jair Bolsonaro (PSL). Médicos cubanos teriam que realizar a revalidação de diplomas e novas avaliações de capacitação para continuarem a atuar no país brasileiro, o que gerou retaliação do governo caribenho e resultou no desligamento dos profissionais de Cuba, que atuavam junto ao programa.

Desde então, consequentemente, iniciou-se um enfraquecimento do Programa Mais Médicos em todo o país. O Governo Federal realizou a abertura de novos editais para agregar mais profissionais ao programa devido ao desligamento dos médicos cubanos, porém, as 8.517 vagas que estavam abertas não foram preenchidas em sua totalidade e contratos não estão sendo renovados pelo atual governo.

O Programa Mais Médicos contava com a estimativa de 18.240 vagas em seu total, mas muitas cidades do Brasil estão sofrendo com o déficit de atuação, principalmente, as regiões mais carentes da presença médica, como regiões de extrema pobreza, ribeirinhas, reservas indígenas e quilombolas. Profissionais brasileiros, formados no exterior, além de médicos de outras nacionalidades encorporadas ao programa, ocupariam as 2 mil vagas remanescentes deixadas em aberto devido à saída dos cubanos, mas muitos desses profissionais se ausentaram do programa, havendo ainda em aberto vagas não preenchidas.

Jamile Farrath, médica e moradora de Artur Nogueira, trabalhou junto ao Programa Mais Médicos no município nos últimos três anos e teve o contrato encerrado em fevereiro deste ano (2019). Ela considera que o programa teve exemplar atuação voltada à população do país e que, apesar das dificuldades que o ramo da Saúde enfrenta no Brasil, o Mais Médicos desempenhou um trabalho prático e que fez a diferença por onde passou.

“Eu que atuei por três anos junto ao programa, acho uma pena isso estar acontecendo, já que trouxe excelentes resultados nos indicadores de saúde e ótima aceitação por parte dos usuários. O Mais Médicos trouxe melhores condições de trabalho a nós médicos, com salário justo além de capacitação profissional em universidades renomadas do país. Da mesma forma proporcionou um atendimento diferenciado à população sempre prezando pela qualidade”, lamenta.

Uma pesquisa realizada pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) indicou que 95% dos pacientes atendidos pelo Mais Médicos no país se mostraram satisfeitos com a atuação do programa, elogiando a qualidade do atendimento, a atenção prestada pelos profissionais e a eficácia dos tratamentos indicados. Conforme divulgações prévias realizadas pelo Governo Federal e pelo Ministério da Saúde, com repercussão maior na mídia internacional, o Programa Mais Médicos está em seu último ciclo de editais com duração de três anos e deverá ser substituído por outra estratégia de campanha governamental.

Ainda em planejamento, um plano de carreira será traçado aos profissionais que desejam atuar em localidades antes ocupadas por profissionais com diplomas revalidados ligados ao Mais Médicos. O objetivo é que o trabalho desses profissionais se inicie em locais de maior vulnerabilidade, com progressão de salários e cargos, migrando para cidades maiores no decorrer da carreira.

Mais Médicos em Artur Nogueira

Em Artur Nogueira, o reflexos do enfraquecimento do Mais Médicos não está sendo diferente. Além de Jamile Farrath, outros médicos ligados ao programa, incluindo profissionais cubanos, já foram desligados devido à não renovação de contratos pelo Governo Federal. Eles atuavam na cidade desde 2014.

Solicitada pelo Portal Nogueirense, a Secretaria de Saúde, por meio da Prefeitura de Artur Nogueira, informou em nota que “no último ano houve o desligamento de seis médicos cubanos inseridos ao Programa Mais Médicos no município. Em virtude do encerramento do 9º ciclo (contratação) do programa no mês de março de 2019, ocorreu o desligamento de mais um profissional médico, visto que o próprio programa não realizou a renovação do contrato”, afirma.

O setor declarou ainda que, “atualmente, a rede municipal de Saúde conta com 10 profissionais médicos que atendem especificamente às demandas nos Postos de Saúde da Família (PSF), mantendo todas as rotinas médicas e de enfermagem normalmente”, finaliza.

Leia mais

Saída de cubanos do Programa Mais Médicos tem reflexo em Artur Nogueira

Médico brasileiro formado em Cuba fala sobre Mais Médicos em Artur Nogueira

……………………………………..

Tem uma sugestão de reportagem? Clique aqui e envie para o Portal Nogueirense.


ÚLTIMAS NOTÍCIAS



Comentários

Não nos responsabilizamos pelos comentários feitos por nossos visitantes, sendo certo que as opiniões aqui prestadas não representam a opinião do Grupo Bússulo Comunicação Ltda.