01/10/2019

Dia Mundial do Vegetarianismo: confira relato de adepto e nutricionista de Artur Nogueira

Data foi estabelecida pela Sociedade Vegetariana Norte Americana em 1977; 14% da população do Brasil se declara vegetariana

Diego Faria

Nesta terça-feira, 1º de outubro, celebra-se o Dia Mundial do Vegetarianismo. A data foi estabelecida pela Sociedade Vegetariana Norte Americana, em 1977. Seja pelo quesito de saúde ou ambiental, esse estilo de vida milenar possui adeptos em todo o mundo. O empresário Misael Danciguer Santos, morador de Artur Nogueira, é uma das pessoas que segue esse tipo de alimentação. Nesta matéria, ele comenta sobre os benefícios que o fizeram optar por esse regime.

A data celebrada como o Dia Mundial do Vegetarianismo não se restringe apenas aos vegetarianos, pois o intuito deste dia é justamente incentivar uma alimentação mais natural e levar informação ao maior número possível de pessoas. Segundo uma pesquisa do Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística (IBOP), realizada em 2018 e divulgada pela Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB), 14% da população do Brasil se declara vegetariana. Em vista que o país possui hoje 210,5 milhões de pessoas, aproximadamente 29,4 mil delas são adeptas ao vegetarianismo.

Misael Danciguer Santos, morador de Artur Nogueira, é um vegetariano mas não precisou efetuar uma transição alimentar necessariamente dita. Hoje com 29 anos, ele tem uma dieta vegetariana desde que nasceu. “Eu nasci em uma família vegetariana, meus pais aderiram a esse estilo de vida desde jovens. Não sinto falta ou vontade de comer carne, o que já tive foi apenas curiosidade pelo fato do convívio social mesmo. Onde quer que você vá, têm gente comendo, seja na casas de amigos ou em confraternizações. Embora a carne seja um tipo de alimento, para mim, eu não a vejo como um alimento”, destaca.

De acordo com dados divulgados pela SVB, estudos populacionais entre carnívoros e vegetarianos mostram que pessoas que não consomem carne possuem menor chance de desenvolver doenças como dislipidemias (alteração dos lipídios no sangue), hipertensão, infarto agudo, diabetes, câncer e obesidade. O empresário também considera o vegetarianismo um fator fundamental para uma boa saúde e para a preservação do meio ambiente. “O vegetarianismo é um fator extremamente importante para a sociedade. Vejo como uma evolução social que está acontecendo, pois esse conceito tem crescido. É uma evolução no sentido ecológico, frente à crueldade com os animais e aos fatores de desmatamento que a produção de carne necessita. No quesito de saúde também, pois a industria alimentícia inclui hormônios para que o animal se desenvolva mais rápido e isso tem nos afetando diretamente. Enfim, muitos estudos apontam que não consumir carne tem sido mais vantajoso. Muitas pessoas estão se conscientizando disso, mas cada um tem o seu tempo”, relata.

Mesmo que uma pessoa tenha o interesse em realizar a mudança alimentar, passando da dieta carnívora para a vegetariana, é preciso ficar atento às reposições no cardápio, já que o organismo humano depende de proteína para se manter. Além da carne, esse tipo de recurso também é encontrado no reino vegetal. A nutricionista Neia Santana Vons destaca que essa reposição é indispensável para pessoas que queiram deixar o consumo da carne. “Muitos são os fatores que levam uma pessoa a se tornar vegetariana: pela saúde, pelos animais, pelo meio ambiente. Existem muitas evidências científicas comprovando os benefícios da alimentação vegetariana para o ser humano e para o meio ambiente. Mas o importante nesse período de transição é começar aumentando o consumo de legumes, verduras e frutas e, aos poucos, reduzir os alimentos de origem animal de forma gradativa”, explica.

A profissional também afirma que não é necessário receio quanto à saúde por parte de pessoas que queiram aderir ao vegetarianismo. Com  força de vontade e orientação de um nutricionista, tudo pode ser feito de forma tranquila e adequada. “Muitos têm medo de restringir a alimentação, mas não existe nenhum alimento de origem animal que seja necessária ao corpo, então, é possível ter uma alimentação balanceada em uma dieta vegetariana tranquilamente. Não é um processo complicado, é preciso aderir aos alimentos mais simples e, para evitar dúvidas, é preciso pesquisar e ter sempre a ajuda de um profissional”, explica.

Essa mudança alimentar deve ser feita de forma progressiva. Cereais e leguminosas estão entre os alimentos ricos em proteínas e indispensáveis na dieta vegetariana. Frutas, legumes e verduras possuem quantidades inferiores de proteínas, porém, são ricos em vitaminas e minerais, também importantes ingredientes no ciclo de transição alimentar. Qualquer tipo de alimentação depende dessa diversidade, pois a falta dela pode acarretar em um déficit de nutrientes, tanto para carnívoros, quanto para vegetarianos.

…………………………

Tem uma sugestão de reportagem? Clique aqui e envie para o Portal Nogueirense


ÚLTIMAS NOTÍCIAS



Comentários

Não nos responsabilizamos pelos comentários feitos por nossos visitantes, sendo certo que as opiniões aqui prestadas não representam a opinião do Grupo Bússulo Comunicação Ltda.