29/01/2011

Depósito de lixo?

Comerciantes da principal avenida de Artur Nogueira depositam lixo no canteiro central. Prefeitura diz que estuda solução

Riane Barbosa

Quem vem para Artur Nogueira pela primeira vez e passa pela avenida Dr. Fernando Arens, no centro da cidade, nota uma decoração um tanto indesejada. Independente do horário, cedo ou à tarde, os comerciantes da região depositam lixo no canteiro que divide a avenida.

São sacolinhas plásticas, caixas de papelão, isopor e até restos de alimentos depositados aleatoriamente pelo canteiro, que se misturam com os ipês amarelos, recentemente plantados.

A ação além de não embelezar a paisagem, acaba danificando a grama plantada no local.

Os comerciantes se defendem dizendo que não possuem opção para depositar o lixo e acabam colocando no próprio canteiro. “Antigamente, tínhamos os latões que escondiam os lixos, mas tiraram tudo, além de que se colocarmos em outro lugar o lixeiro não recolhe”, declara o comerciante, Walter Gazotto.

Alguns opinam em como melhorar a aparência da avenida. “Precisamos de lixeiras maiores para colocar o lixo, os latões de coleta seletiva são pequenos e não comportam nem o meu lixo, me obrigando a colocá-lo do lado dos latões”, comenta o comerciante, Bene Pilla.

O proprietário de uma padaria da avenida conseguiu achar uma opção para não jogar o lixo no canteiro. “Coloco todo meu lixo numa casinha nos fundos da padaria, assim por bondade os coletores da prefeitura, eles próprios passam e pegam o meu lixo, alguns catadores autônomos também tem a autorização para recolher”, declara o comerciante, Jorge Baldoso.

A comerciante Maria Júlia confirma que joga o seu lixo no canteiro, mesmo sabendo que é errado. “Já estamos acomodados, ninguém vai andar mais de dez metros para jogar o lixo em outro lugar, esse problema é por falta de cultura, depois que joga fora o lixo, ninguém quer mais assumir a responsabilidade”, afirma a comerciante.

O problema aumenta ainda mais quando os cachorros mexem no lixo, ou os recicladores autônomos mexem e deixam aberto, mas isso “acaba sendo um descuido do próprio comerciante, que no final pode sair prejudicado em suas vendas”, declara Maria Julia.

O secretário de Obras, Fernando Arrivabene, afirma que as obras na avenida ainda não finalizaram, prevendo a finalização em até trinta dias, com uma solução para o problema dos lixos. “Esses hábitos precisam ser mudados, estamos estudando todas as possibilidades para melhorar o ambiente da avenida”, afirma Arrivabene.

Ainda segundo o secretario, a coleta de lixo na avenida é feita em dois horários. “Enquanto as regras ainda não estão definidas é importante que os comerciantes colaborem e respeitem os horários de passagem do caminhão de coleta, e quando o caminhão já tiver passado não coloquem o lixo novamente”, solicita Arrivabene.


ÚLTIMAS NOTÍCIAS



Comentários

Não nos responsabilizamos pelos comentários feitos por nossos visitantes, sendo certo que as opiniões aqui prestadas não representam a opinião do Grupo Bússulo Comunicação Ltda.