20/12/2019

Davi se posiciona sobre resultado de Comissão Processante

"No relatório diz que há ausência objetiva dos fatos, eu descordo, pois existem comprovações, conversas de WhatsApp e tantas outras coisas que foram juntadas, por isso eu então discordo desse item”, comentou o vereador

Da redação

O vereador Davi da Radio deu uma coletiva na tarde desta sexta-feira para explicar seu voto favorável ao prosseguimento da  denúncia contra o prefeito Ivan Vicensotti (PSB). Ermes Dagrela e Miltinho Turmeiro votaram pelo arquivamento da denúncia.

Davi discorda do relatório feito pelos outros componentes da comissão. “No relatório diz que há ausência objetiva dos fatos, eu descordo, pois existem comprovações, conversas de WhatsApp e tantas outras coisas que foram juntadas, por isso eu então discordo desse item”, comentou o vereador.

Davi acredita que o voto contrário dos dois vereadores prejudicará o trabalho de investigação mesmo que a Câmara vote contrariamente ao relatório. “Por se tratar de intervalo regimental da Câmara, esse projeto será arremetido a plenário pra ser votado, eu vejo um prejuízo na investigação quando se dá um parecer contrário a uma denúncia sem que se ouça uma testemunha, nós temos tempo pra isso”, comentou Davi.

Além disso, Davi afirma que não será possível marcar uma sessão extraordinária para que os vereadores a favor ou contra o relatório. “Regimentalmente não pode ser convocado uma extraordinária por não ser objeto de uma sessão extraordinária, não se trata de um projeto de lei”, explica Davi.

Davi também afirma que, caso a câmara vote por dar continuidade ao processo, é preciso rediscutir os prazos. “Ainda que ele vá ser arremetido em votação em plenário, o tempo que vamos ter a oitiva é muito pequeno. Se os vereadores entenderem que devemos prosseguir, teremos que pedir um aumento no prazo”, comentou.

A denúncia

A referida denúncia contra Vicensotti foi feita por Rodrigo de Faveri em novembro deste ano (2019) e acatada pelo Plenário no dia 18 do mesmo mês. O documento apontava a suspeita de que o prefeito nogueirense teria condicionado a aprovação de loteamento de casas populares (em desenvolvido pela empresa Ecovita Incorporadora e Construtora LTDA) à aprovação da Câmara Municipal mediante projetos de leis de Expansão Urbana, na tentativa de beneficiar terrenos de propriedade de familiares do prefeito.

A decisão agora deve ser votada na Câmara dos Vereadores na primeira sessão ordinária de 2020. Caso o plenário vote a favor do relatório, a denúncia contra Ivan será arquivada. Paralelo a isso, a denúncia continua aberta e sob análise no Ministério Público.

……………………………………

Tem uma sugestão de entrevista? Clique aqui e envie para o Portal Nogueirense.


ÚLTIMAS NOTÍCIAS



Comentários

Não nos responsabilizamos pelos comentários feitos por nossos visitantes, sendo certo que as opiniões aqui prestadas não representam a opinião do Grupo Bússulo Comunicação Ltda.