11/06/2019

Comerciante acaba preso por receptação em Artur Nogueira

Acusado teria comprado peças de alumínio que eram provenientes de um suposto furto

Da redação

Um comerciante foi preso pela Polícia Civil nesta segunda-feira (10) acusado por receptação de produto furtado. Materiais de alumínio que haviam sido subtraídos de um estabelecimento comercial foram encontrados no comércio do indiciado.

O registro do Boletim de Ocorrência (B.O.) descreve que a vítima do furto, um comerciante de 63 anos, teve materiais de alumínio subtraídos do estabelecimento que ele possui. Ao todo, 300 kg de alumínio haviam sido furtados na ocasião do delito.

Posteriormente, a vítima passou a procurar em ferros velhos e depósitos de reciclagem pelo materiais, sendo que, em um depósito situado na Rua Dez de Abril, em Artur Nogueira, o comerciante então encontrou alguns dos materiais que reconheceu como as peças furtadas. Com a constatação, a vítima procurou a Delegacia de Polícia Civil e denunciou o ocorrido, desta forma, os investigadores da unidade se deslocaram em diligência para apurar o caso.

Em contato com o referido comerciante, dono do depósito, os policiais souberam que no último sábado (8), dois indivíduos em uma Fiat/Fiorino branca chegaram ao estabelecimento dele e ofereceram a venda dos alumínios, sendo que a negociação foi feita sem que a suspeita de furto fosse levantada pelo comprador. Ao todo, 70 kg de alumínio provenientes do suposto furto foram apreendidos no local.

Diante da constatação, as partes foram encaminhadas à Delegacia de Polícia Civil, onde foram ouvidas. Posteriormente, o acusado de ter comprado os materiais recebeu ordem de prisão e permaneceu à disposição da Justiça na unidade policial. Ele deverá ser submetido à uma audiência de custódia nesta terça-feira (11) que determinará se ele permanecerá preso.

……………………………………..

Tem uma sugestão de reportagem? Clique aqui e envie para o Portal Nogueirense.


ÚLTIMAS NOTÍCIAS



Comentários

Não nos responsabilizamos pelos comentários feitos por nossos visitantes, sendo certo que as opiniões aqui prestadas não representam a opinião do Grupo Bússulo Comunicação Ltda.