15/11/2019

“Câmara agirá no rigor da lei”, afirma Professor Adalberto

Pedido de abertura de Comissão Processante para investigar atos de Ivan foi protocolado por Rodrigo de Faveri

Da redação

O vereador Professor Adalberto (PSDB) se pronunciou sobre o pedido de abertura de uma Comissão Processante (CP) para investigar atos do prefeito Ivan Vicensotti (PSB).  O pedido foi protocolado pelo vereador Rodrigo de Faveri (PTB) e pretende investigar se Ivan cometeu ato de improbidade administrativa.

Adalberto afirmou que a denúncia tem fundamento legal e que o colega fez o seu papel. “A denúncia por infração político-administrativa apresentada pelo edil Luiz Rodrigo de Faveri em desfavor do Sr. prefeito Ivan Vicensotti tem fundamento legal sendo legítima a sua admissibilidade”, declarou. “Como representante do povo e no exercício de seu mandato, ao tomar conhecimento das acusações, fez o que o artigo 5 do decreto 201/1967 estabelece: apresentou a denúncia”, completou.

O parlamentar disse ainda que “Caberá a Câmara dos Vereadores verificar a consistência das acusações, considerar os fundamentos, provas e procedência dos fatos relatados”.

Professor Adalberto comentou que está analisando a denúncia e que não entraria em detalhes.  “Eu estou analisando a denúncia com muita cautela para tomar decisões justas. Não quero entrar em detalhes do conteúdo da denúncia, embora o mesmo já tenha sido parcialmente exposto na mídia, mas quero ressaltar sua gravidade”, pontuou.

“Certamente a Câmara Municipal representada pelos 12 vereadores agirá com prudência, firmeza, porém no rigor da lei cumprindo sua atribuição fiscalizadora”, complementou.

E concluiu. “Dar primazia à verdade, faz parte do meu compromisso e a população pode ter certeza que não fugirei de minhas responsabilidades”.

……………………………………

Tem uma sugestão de entrevista? Clique aqui e envie para o Portal Nogueirense.


ÚLTIMAS NOTÍCIAS



Comentários

Não nos responsabilizamos pelos comentários feitos por nossos visitantes, sendo certo que as opiniões aqui prestadas não representam a opinião do Grupo Bússulo Comunicação Ltda.