27/11/2018

Artur Nogueira terá ‘Operação Chuvas de Verão’

População deve ficar atenta as orientações para o período que vai de 1º de dezembro a 31 de março

A Prefeitura Municipal de Artur Nogueira através da Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil de Artur Nogueira, sob o comando da Secretaria Municipal de Segurança Transito e Defesa Civil, esteve presente nos dias 6 e 7 de novembro, nos encontros regionais da Oficina Preparatória para Operação Chuvas de Verão 2017/2018, para os 90 municípios da região administrativa de Campinas (SP), na cidade de Mogi Guaçu (SP).

A Operação Chuvas de Verão da Defesa Civil acontece, todos os anos, no período de 1º de dezembro a 31 de março. O objetivo desta ação é reduzir os danos materiais e, principalmente, preservar vidas. Para isso, a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec/SP), realiza nos meses que antecedem a temporada de chuvas, treinamentos para capacitação e especialização dos agentes municipais que operam Planos Preventivos de Defesa Civil (PPDCs), levando conhecimento fundamental a respeito de práticas operacionais preventivas para minimizar os efeitos de eventos como deslizamento de terra, inundações, dentre outros.

Foram abordados na Oficina temas como Legislação Básica aplicada à Proteção e Defesa Civil, Geologia aplicada à Proteção e Defesa Civil, Meteorologia aplicada à Proteção e Defesa Civil, Registro de Comunicação Preliminar de Ocorrência no Sistema Integrado de Defesa Civil (Sidec), Procedimentos de Assistência Humanitária, Situação de Anormalidade, Estrutura dos Planos Preventivos de Defesa Civil (PPDCs), Valores Acumulados de Chuva, Informações Meteorológicas, Vistoria de Campo e Exercícios Práticos.

Operação Chuvas de Verão

A Defesa Civil de Artur Nogueira faz um alerta em relação ao período de Chuvas de verão, período mais chuvoso do ano. Independente desses dias de maior intensidade pluviométrica, o final do ano e os três primeiros meses do ano seguinte, geralmente, são marcados por tempestades de fim de tarde, acompanhadas de trovoadas e descargas elétricas.

E saber agir nesses momentos é fundamental. Tanto do ponto de vista da proteção das ventanias e das chuvas com raios, quanto das possibilidades de enxurradas e alagamentos. “Recomendamos que as pessoas, ao perceberem aquele céu ficando escuro, trovões e lampejos de descarga elétrica, para que se abriguem em local seguro”.

O único lugar onde as pessoas não devem ficar é ao relento, em áreas abertas, até mesmo um automóvel é mais seguro do que tentar abrigar-se em sob marquises, pontos de ônibus e, principalmente, sob árvores. “A pessoa deve buscar abrigo num imóvel como casa ou prédio, desde que seja um local mais protegido. Um veículo de quatro rodas também é seguro para essa proteção.

Em nenhuma hipótese se pode ficar em campo de futebol, piscina, lagoas e represas. A indicação é buscar imediatamente um local fechado onde se abrigar. Caso esteja numa área mais afastada, como no campo, e haja dificuldade de sair do local, é importante ficar agachado, com a cabeça entre os joelhos, e as mãos junto aos ouvidos. O ideal é esperar que as descargas elétricas diminuam para se buscar abrigo com mais proteção como imóvel ou veículo. “Importante, que as pessoas entendam que a descarga pode cair no mesmo lugar algumas vezes.

Outra orientação da Defesa Civil é com relação ao volume de água. A enxurrada apresenta uma força muito grande principalmente nas partes mais baixas das vias. Desta forma, as pessoas não devem tentar ultrapassar esses locais, mesmo em carros ou motocicletas. E muito menos a pé ou de bicicletas. O risco de ser arrastado é muito grande e em relação ao veículo de quatro rodas, se a água estiver no nível, próximo a metade da roda é conveniente a pessoa não avançar e aguardar reduzir esse volume de água, para então fazer a travessia.

É recomendado não soltar pipas e não carregar objetos como canos e varas de pesca; andar de bicicleta, motocicleta ou a cavalo. Se estiver em casa, afaste-se de aparelhos e objetos ligados à rede elétrica, como TVs, geladeiras; evite utilizar o telefone (a menos que seja sem fio); afaste-se de janelas, tomadas, torneiras, canos elétricos e evite tomar banho.

Níveis de operação

Durante a “Operação Verão”, o Plano de Contingência trabalhará com os seguintes níveis de operação elencadas abaixo:

  • Observação: elaboração do Plano de Ação local, acompanhamento dos índices pluviométricos (chuvas), mapeamento das áreas de risco, trabalho de conscientização da comunidade, levantamento dos recursos, materiais e humanos, para a devida efetivação das ações, etc;
  • Atenção: determinado a partir do momento em que o acumulado de chuvas ultrapassem 80 mm em três dias – realização imediata de vistorias de campo em áreas de risco para verificação de possíveis ocorrências que tragam riscos à comunidade, tais como: elevação do nível dos rios e córregos, indicação de movimentação de encostas, etc. neste nível a Redec I – 05 Região Metropolitana de Campinas já deverá ser comunicada que o município entrou em Estado de Atenção;
  • Alerta: continuar com as vistorias de campo, retirar a população das áreas de riscos iminentes, agilizar os meios necessários para possível retirada da população das demais áreas de risco, viabilizar o trabalho das equipes de socorro, etc. Neste nível deverá ser mantido contato junto à Redec I-05/ RMC Campinas e Cedec/ SP para envio dos técnicos do IG para acompanhamento das ocorrências nas áreas de risco.
  • Alerta máximo: continuar com as vistorias de campo junto aos técnicos do IG, continuar a retirar a população das áreas de risco iminente, agilizar os meios necessários para possível retirada da população das demais áreas de risco, viabilizar o trabalho das equipes de socorro, restabelecer os sistemas de drenagem e vias, etc.

Obs.: os níveis de alerta e alerta máximo somente poderão ser revogados após parecer favorável dos técnicos do IG e oficiais da Cedec/SP.

……………………………………..

Tem uma sugestão de reportagem? Clique aqui e envie para o Portal Nogueirense.


ÚLTIMAS NOTÍCIAS



Comentários

Não nos responsabilizamos pelos comentários feitos por nossos visitantes, sendo certo que as opiniões aqui prestadas não representam a opinião do Grupo Bússulo Comunicação Ltda.