19/03/2014

Artur Nogueira tem o maior índice de desemprego da RMC, segundo Caged

Para economista, dados devem ser analisados com cautela pois só consideram as informações de trabalhadores com carteira assinada no setor privado, não incluindo os autônomos, pequenos empresários e o funcionalismo público

Rafaela Martins

Em janeiro de 2014, Artur Nogueira registrou o maior índice de desemprego da Região Metropolitana de Campinas (RMC). O Brasil apresenta uma taxa de 4,8% de desemprego da População Economicamente Ativa (PEA).  O dados foram fornecidos pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) através do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

Com base nos dados, a cidade de Artur Nogueira apresenta uma média acima da nacional. O município fechou em 14,65% no mês de janeiro deste ano. O número representa 3.154 pessoas desempregadas na cidade.

Na análise do economista nogueirense Luiz Fernando Alves Rosa, do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese), esses dados devem ser analisados com cautela. “Os números apresentados assustam porque o Caged só considera as informações de trabalhadores com “carteira assinada” no setor privado, não incluindo os autônomos, pequenos empresários e o funcionalismo público, setores que tem muito peso em pequenos municípios como Artur Nogueira”, explica o economista.

A Região Metropolitana de Campinas (RMC) tem enfrentado uma alta nos índices de desemprego nos últimos anos.  Em janeiro de 2011, o índice médio da região foi de 4,41%. Nesse mesmo período, Artur Nogueira apresentou uma taxa de 11,63%, sendo o maior da RMC. Já no ano passado, a região registrou um índice de 4,64% de desempregados, e Artur Nogueira também apresentou a pior taxa da RMC.

2

Segundo o economista, os altos índices de desempregados estão ligados ao pequeno número de indústrias no município. “Um dos motivos para o déficit de empregos em Artur Nogueira, que a leva a encabeçar a lista, é o problema histórico do baixo número de indústrias na cidade. A falta de um setor industrial de maior envergadura tem reflexos negativos não apenas no emprego industrial, mas também prejudica a geração de empregos no comércio. Nos últimos anos, várias empresas tem se instalado no município, mas esse movimento ainda não foi capaz de resolver o problema. Não é de hoje que Artur Nogueira é uma ‘cidade dormitório’”, explica Rosa.

O prefeito de Artur Nogueira, Celso Capato, disse que está trabalhando para mudar essa realidade. “Esses dados são uma consequência do longo período de estagnação econômica que o município viveu nos últimos anos. Prova disso é que inúmeras novas empresas estão chegando no município e muito em breve mais vagas de trabalho serão abertas para a população local. Nesse momento, o Posto de Atendimento ao Trabalhador (PAT) de Artur Nogueira oferece inúmeras oportunidades de emprego já como reflexo da chegada dessas novas empresas e indústrias. Muitos trabalhadores estão em processo de seleção e contratação e isso não é levado em consideração pelo presente balanço. É importante ressaltar também que o respectivo levantamento é baseado exclusivamente no mês de janeiro e não reflete a média anual, uma vez que esse tipo de estudo apresenta muitas oscilações durante todo o ano”, afirma Capato.


Comentários

Não nos responsabilizamos pelos comentários feitos por nossos visitantes, sendo certo que as opiniões aqui prestadas não representam a opinião do Grupo Bússulo Comunicação Ltda.