22/08/2019

Artur Nogueira tem confirmação de caso de sarampo

Vítima se trata de uma criança de um ano e quatro meses; Apesar da confirmação, paciente já teve alta médica e está fora de risco

Da redação

O Portal Nogueirense recebeu a confirmação do primeiro caso de sarampo em Artur Nogueira em 2019. A vítima da doença se trata de uma criança, que já teve alta médica e está fora de risco. A confirmação laboratorial ocorreu no último dia 14 de agosto. Ao todo, a Região Metropolitana de Campinas (RMC) registrou até o momento 35 casos da doença.

Conforme informou o setor de Vigilância e Saúde através da assessoria de Comunicação da Prefeitura, a contaminação de sarampo fez uma criança de um ano de quatro meses como vítima no município. Depois de receber atendimento médico na cidade nogueirense, ela teve o diagnóstico confirmado no dia 18 de julho, pelo Hospital Madre Theodora, em Campinas (SP).

No dia 15 do mesmo mês (julho), a criança apresentava início de febre e manchas vermelhas na pele. No dia 18, ela foi então submetida à uma internação na unidade hospitalar de Campinas, permanecendo aos cuidados do hospital até o dia 22, sem ter graves complicações devido à doença, conforme informou a assessoria da Prefeitura de Artur Nogueira. A confirmação laboratorial do caso para contaminação de sarampo foi emitida no último dia 14 de agosto.

Ainda de acordo com o setor de assessoria, assim que ocorreu a notificação do Grupo de Vigilância Epidemiológica de Campinas, teve “início às ações de bloqueio (da doença), conforme o protocolo do Centro de Vigilância Epidemiológica do Estado de São Paulo. Cabe ressaltar ainda que, o calendário de vacinação para o Estado de São Paulo orienta, como rotina, a imunização da primeira dose da tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola) aos 12 meses de idade, sendo a segunda dose da imunização com a tetraviral (sarampo, caxumba,rubéola e varicela) orientada para os 15 meses de idade”.

Em relação à criança de Artur Nogueira diagnosticada com a doença, até a data da suspeita de sarampo, ela “havia recebido somente a primeira dose de rotina de vacinação no dia 14 de maio deste ano (2019), com um ano e dois meses de idade na época”. Após ter alta hospitalar, foram realizadas imediatamente as ações de bloqueio para evitar possíveis novos casos da doença na cidade, com a imunização dos contactantes e, por se tratar do período de férias escolares, não foi necessário realizar o bloqueio na creche à qual à criança é assistida.

Vacinação em Artur Nogueira

Em relação ao andamento da vacinação contra o sarampo em Artur Nogueira, a Prefeitura, através da Vigilância em Saúde do município informou que, “até o momento não foi notificada pelo Grupo de Vigilância Epidemiológica de Campinas à respeito da determinação do Ministério da Saúde. Destacamos que para poder tomar quaisquer medidas e realizar a intensificação da ‘dose zero’ da vacina para todas as crianças de seis a 11 meses, aguardamos a liberação por parte da diretora técnica de Saúde (Drª Márcia Pacóla), que por hora, nos orientou a aguardar maiores informações técnicas da Secretaria Estadual de Saúde”, pontua.

Em nota o setor informou ainda que, “a vacinação da ‘dose zero’ está sendo realizada apenas em crianças de seis a 11 meses que irão viajar para regiões com surto do vírus, e que a vacina deve ser aplicada com 15 dias de antecedência da exposição. Cabe ressaltar ainda que a referida dose não substitui a imunização da tríplice viral, que deve ser rigorosamente aplicada aos 12 meses de vida”, finaliza.

RMC

Até a presente data ocorreram 35 casos de sarampo na Região Metropolitana de Campinas (RMC).  Entre os municípios com a confirmação de pessoas contaminadas estão Artur Nogueira, com um caso confirmado, Americana (SP), também com a confirmação de um caso, Campinas, com 19 casos; Hortolândia (SP), com duas contaminações; Indaiatuba (SP), com três pessoas contaminadas; em seguida estão Jaguariúna (SP), com duas pessoas diagnosticadas; Sumaré (SP), com a confirmação de três contaminações; Vinhedo (SP), com três casos registrados e Paulínia (SP), tendo um caso.

Sarampo 

De acordo com o Ministério da Saúde, o sarampo é uma doença infecciosa grave, causada por um vírus que pode ser fatal. A transmissão ocorre quando o contaminado tosse, fala, espirra ou respira próximo de outras pessoas. A única maneira de evitar o sarampo é através da  vacinação.

Entre os principais sintomas do sarampo estão: febre acompanhada de tosse, irritação nos olhos, nariz escorrendo ou entupido e mal-estar intenso. Com este quadro de saúde permanecendo por três dias ou mais, podem ocorrer outros sintomas como, por exemplo, manchas vermelhas no rosto e atrás das orelhas que se espalham pelo corpo. Com o surgimento das manchas, a persistência da febre é um sinal de alerta e pode indicar gravidade da doença, principalmente, em crianças menores de cinco anos de idade.

O sarampo é uma doença grave que pode deixar sequelas por toda a vida ou causar o óbito. Essa é uma enfermidade prevenível apenas por vacinação. Os critérios de indicação da vacina são revisados periodicamente pelo Ministério da Saúde e levam em conta as características clínicas da doença, idade, ter adoecido por sarampo durante a vida, ocorrência de surtos, além de outros aspectos epidemiológicos.

Devem receber a dose zero da vacina contra o sarampo todas as crianças de seis meses a menores de um ano; a primeira dose para crianças que completarem um ano e; a segunda dose aos 15 meses de idade, sendo a última dose por toda a vida.

Já os adultos que tomaram apenas uma dose da vacina até os 29 anos de idade, recomenda-se completar a aplicação da vacina com a segunda dose. Quem comprova as duas doses da vacina do sarampo, não precisa se vacinar novamente. Já quem  não tomou nenhuma dose, perdeu o cartão de vacinação ou não se lembra de quando tomou a vacina, fique atento: pessoas de um a 29 anos necessárias duas doses da vacina, já pessoas de 30 a 49 anos, é necessário apenas uma dose da vacinação.

……………………………………..

Tem uma sugestão de reportagem? Clique aqui e envie para o Portal Nogueirense.


ÚLTIMAS NOTÍCIAS



Comentários

Não nos responsabilizamos pelos comentários feitos por nossos visitantes, sendo certo que as opiniões aqui prestadas não representam a opinião do Grupo Bússulo Comunicação Ltda.