09/02/2015

Artur Nogueira registra 15 casos de pessoas desaparecidas em dois anos

Dos 60 casos registrados entre 2013 e 2014 na cidade, 45 retornaram para casa.

Por Diego Faria

Dados atualizados da Delegacia de Polícia de Artur Nogueira apontam 60 casos de pessoas desaparecidas no período entre 2013 e 2014. Esse número representa até três pessoas desparecidas a cada mês. No entanto, a boa notícia é que desse total, 45 deles retornaram para casa.

Entre os casos que o Portal Nogueirense acompanhou está o da aposentada Maria Fagundes de Souza (61). Natural de Mato Verde (MG), Maria vive em Artur Nogueira há 12 anos com o esposo. Ela conta que o irmão, Benjamim Fernandes Guimarães, hoje com aproximadamente 68 anos, desapareceu há 43 anos. Na época, Benjamim saiu da cidade onde morava, em São João do Bonito (MG), com a promessa de trabalho em Cascavel (PR). Emocionada, Maria lembra do dia da despedida de Benjamim.

desaparecidos-6

“Quando eu penso me vem a cena na cabeça. Me lembro como se fosse hoje, ele subindo a ladeira, olhando para trás e abanando a mão”, relata.

Três meses após a saída de Benjamim, a família recebeu uma carta dele dizendo que estava tubo bem e já estava trabalhando. Em resposta à carta, foi informado que a mãe dos irmãos havia falecido. Após a notícia, Maria não recebeu mais novidades sobre o paradeiro do irmão.

desaparecidos-11

A última informação que Maria teve foi através do Fórum de Monte Azul (MG), informando que Benjamim votou para presidência em 2002 no distrito de Terra Roxa (PR). Maria conta que já tentou vários meios de reencontrá-lo e espera por esse dia.

“Já mandei cartas para programas de TV, procurei na internet mas nunca tive respostas. Eu queria tanto encontrar meu irmão, esse é o meu sonho”, relatou emocionada e em lágrimas.

Benjamim nunca teve envolvimento com álcool ou drogas, acrescenta Maria.

Uma outra família que vive uma história parecida é a da dona de casa Elza Maria dos Santos Pinheiro (61). Há 30 anos ela vive com o esposo em Artur Nogueira. Elza falou sobre o seu irmão, Manuel Conceição Neto (77), desaparecido há aproximadamente 50 anos.

Ela conta que a família morava em Paracatu (BA), quando em 1962 seus quatro irmãos migraram para São Paulo em busca de emprego. De São Paulo eles foram para o Triângulo Mineiro, em Iturama (MG), para trabalhar em uma fazenda.

Na época Manuel tinha aproximadamente 27 anos. Os irmãos que o acompanhavam retornaram para a casa da família, ele porém permaneceu em Iturama, embora não tenha dado mais notícias.

Elza conta que o irmão sempre teve um bom convívio com a família e não tinha envolvimento com drogas ou alcoolismo. “Nós morávamos na roça, nem sabíamos dessas coisas. Meu pai era muito rígido e todos nós respeitávamos ele”, afirma.

desaparecidos-20

Elza diz que tentou através de vereadores conhecidos de Artur Nogueira conseguir contato com o irmão, mas nunca foi possível. Já fazem aproximadamente 52 anos que o irmão de Elza está desaparecido.

“Nunca perdi a esperança de reencontrar meu irmão. Eu sempre entro na internet atrás de alguma pista, mas nunca soube de nada. Penso que será uma alegria, uma festa encontra-lo”, declara. Em época de natal, Elza acrescenta dizendo que sente muita saudade do irmão.

A assistente social da Prefeitura de Artur Nogueira Sarah Abijah, diz que os casos de pessoas desaparecidas estão diretamente ligados ao tráfico de pessoas para o mercado da prostituição, trabalho escravo e contrabando de órgãos humanos. Ainda casos de conflitos familiares, alcoolismo e dependência química tem contribuído com esse crescimento estatístico.

“Pessoas que sofrem de deficiências mentais podem se perder com mais facilidade”, acrescenta Sarah. De acordo com a assistente é recomendável haver a companhia de um responsável nesses casos.

O resguardo dos documentos do desaparecido é importante para se chegar à identificação. Ainda segundo Sarah, pessoas que tenham familiares desaparecidos devem entrar em contato com delegacias, hospitais, sites relacionados ao tema ou com as unidades de Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS), que atua no apoio familiar e social, informou a assistente social.

Em Artur Nogueira a unidade do CREAS funciona na Rua 13 de Maio, 65 – Centro – Telefone 3877.4402.


Comentários

Não nos responsabilizamos pelos comentários feitos por nossos visitantes, sendo certo que as opiniões aqui prestadas não representam a opinião do Grupo Bússulo Comunicação Ltda.