10/02/2016

Artur Nogueira é a 2ª cidade da RMC com menor índice de mortalidade infantil

Entre os 20 municípios, oito apresentam elevação na taxa de óbitos. Em contra partida, Artur Nogueira teve queda de 31%.

Na contramão de cidades da Região Metropolitana de Campinas (RMC), Artur Nogueira teve queda de 31% na taxa de mortalidade de crianças com até um ano para cada mil nascidos vivos entre 2013 e 2014, alcançando o segundo menor índice do grupo. Os números foram divulgados pela Fundação Seade e aponta uma estabilidade do índice no município, que permanece na casa de um dígito, com 6,6%. Dados referentes a 2015 serão divulgados no fim deste ano.

Após registrar uma crescente na taxa de mortalidade infantil, que saltou de 6,3% em 2011 para 9,6% em 2013, o município passou a trabalhar estratégias para reverter o quadro. De acordo com o secretário municipal de Saúde, Zeedivaldo Miranda, a valorização do acolhimento desde o princípio da gestação está entre as medidas adotadas para reduzir o índice. “Após ser constatado índice de prematuridade e aborto elevado, o município buscou aprimorar o acolhimento desde o período gestacional”, explica.

Um dos projetos desenvolvidos dentro desse melhoramento é o Cegonha, que visa dar informações sobre higiene, dieta e controle de vacinas, abarcando também às mães jovens no seu primeiro parto.

Em relação aos motivos para mortalidade de crianças até um ano na cidade, o secretário destaca as tragédias domiciliares como corpo estranho em canal alimentar, afogamentos, quedas de alturas e queimaduras. Mas que alguns casos de mortalidade acabam não sendo registrados na cidade, já que há mães que optam por ir a outra cidade para pré-natal, regressando só após o nascimento. “Porém, nossa notificação é realizada com critério”, frisa o secretário.

Taxa

A taxa de mortalidade infantil é utilizada para aferir as condições de saúde da população, especialmente das crianças. Para calcular esse indicador, a Fundação Seade pesquisa de maneira contínua junto aos cartórios de registro Civil de todos os municípios paulistas, levantando os registros de nascidos vivos e de óbitos ocorridos a cada ano.

Na Região Metropolitana de Campinas oito das 20 cidades apresentaram aumento nos índices. A cidade com a maior elevação da taxa foi Americana, que registrou aumento de 66%, seguida por Engenheiro Coelho, com aumento de 53,8% de 2010 a 2014.

Já as cidades com melhor desempenho, ou seja, com maior queda da mortalidade no período, foram Monte Mor (queda de 46%), Artur Nogueira (- 31,2%), Indaiatuba (- 28%), Jaguariuna (24,6%) e Itatiba (- 22,9%). As outras cinco que também tiveram queda registraram índices inferiores a 20%.

[table “15” could not be loaded /]


Comentários

Não nos responsabilizamos pelos comentários feitos por nossos visitantes, sendo certo que as opiniões aqui prestadas não representam a opinião do Grupo Bússulo Comunicação Ltda.