15/10/2015

Almir Cambra é a grande novidade do rodeio da Expo Artur 2015

Considerado o locutor mais técnico do rodeio brasileiro, Almir Cambra é uma das grandes novidades da festa

O estilo único e emocionante de narrar uma montaria, que muitas vezes culmina com o chapéu jogado para o alto numa bela disputa, marcam a locução arrojada de Almir Cambra. Presente nos mais destacados rodeios do Brasil, Almir possui uma trajetória de sucesso, com grandes conquistas e vários títulos. Ao lado do locutor José Divino, o famoso ‘Palito’, que está na Expo Artur desde o início, Almir promete agitar todas as noites do rodeio, que começa hoje e segue até domingo.

Em 2015 Almir comemorou 20 anos de carreira. Antes de ser locutor, sua meta era competir montando em touros. Até tentou, participou e ganhou alguns rodeios, mas se machucou e viu que não levava jeito para o esporte. Como o rodeio já era uma paixão em sua vida, passou para a locução, que naturalmente transformou em profissão.

“Comecei a brincar no rodeio em 1989, na chácara de um amigo que era tropeiro em Jaboticabal, chamado Jorge Maloca. Morávamos perto e, naquela época, eu ia lá aos domingos à tarde e ficava assistindo o povo montar. Em 90, passei no vestibular do Colégio Agrícola da UNESP, na minha cidade, e lá, o professor Tenório organizava o rodeio na Universidade. E foi nestas duas oportunidades que pude estrear no microfone. Como a paixão pelo rodeio sempre foi grande, já que meu sonho era montar em boi. A locução foi a forma que encontrei de continuar no meio. Cheguei a montar em alguns rodeios. Em Jaboticabal cheguei a ficar em 2º lugar e também ganhei alguns rodeios amadores, como na cidade de Taiuva. Aí, quebrei a clavícula e vi que não dava certo montar”, lembra Almir.

Das montarias, Almir passou a ajudar na organização de rodeios do Colégio Agrícola. “Fizemos uma reunião em 91 e o pessoal decidiu que quem iria narrar seria eu. Foi o primeiro passo para a locução se transformar na minha profissão, já que foi a primeira vez que falei com um som de rodeio. Consegui fazer a locução nos três dias de festa, onde participaram todos os universitários. Desde então, não parei mais”, conta. Trabalhou em Lavras, Uberlândia, Uberaba, Itumbiara/GO, enfim, em todas as cidades de diversas localidades que faziam parte do Circuito Cowboy Forever, organizado pelo pessoal de Maringá. “Nós tínhamos umas 20 etapas no ano e era um campeonato muito bem organizado. Eu participava de todas e então, tudo começou a acontecer”.

Logo no início da carreira, Almir Cambra recebeu o título de locutor revelação em Barretos, após vencer uma seleção de 30 locutores na maior festa do peão do país e ser convidado para narrar a grande final do rodeio.

Trabalhando nos mais diversos circuitos e campeonatos, começaram a vir as premiações: por quatro vezes foi eleito o melhor locutor pelo Troféu Arena de Ouro; ganhou também o troféu como locutor mais técnico do Brasil, eleito pelos próprios profissionais de rodeio que formavam a extinta PRT; o troféu Orestes de Ávila, além de fivelas de prata em Minas Gerais e Rio Preto e o Oscar Country em Cuiabá, dentre outros títulos.

Em 2009, o presidente da Festa de Poloni, Daniel Pereira, fez mais uma homenagem e elegeu Almir como Embaixador do Rodeio de Poloni, em mais um reconhecimento na sua carreira vitoriosa.

Formado técnico agropecuário, Almir chegou atuar na profissão por alguns anos, começando na fazenda experimental da UNESP, em Sertãozinho. “Trabalhei fazendo melhoramento genético com o gado Nelore, Gir, Caracu e Guzerá. Mas, sempre conciliei o trabalho na fazenda com a locução. Como era rodeio universitário, as festas aconteciam sempre de sexta a domingo e eu conseguia sair, conversava com o patrão e ele me liberava mais cedo”.

Com o sonho de ser zootecnista, Almir entrou na Faculdade em Uberaba, onde morou, mas teve que deixar o curso, pois não tinha condições de bancar os estudos. Acreditou que trabalhando no rodeio, conseguiria juntar dinheiro para estudar. Realmente isto seria possível, mas a falta de tempo, com a grande quantidade de trabalho, inviabilizou arrumar tempo para a faculdade. A partir daí realizou o sonho de ser um profissional conceituado no rodeio brasileiro.

Logo no início da carreira, trabalhava em cerca de 40 rodeios no ano. E, hoje, o volume é ainda maior, atingindo até 60 festas no ano.

VIVENDO A MONTARIA

O estilo de narrar de Almir Cambra é único e muito emocionante. “Eu procuro viver a montaria e por isto consigo colocar toda minha emoção na arena. Não sei apenas entrar e falar por falar. O meu rodeio é adrenalina pura, sempre muito alto, falado, mostrado. O meu estilo é agressivo na montaria e na música. Gosto de música alta, porque o que faz uma festa hoje é isto. Rodeio é alegria. É espetáculo, é show!”, explica.

Para Almir, o que mais marca os 20 anos de trabalho nas arenas é o reconhecimento do público, medido de várias formas, seja através da compra dos DVDs ou através de um autógrafo, venda de um boné ou uma camiseta. As pessoas se tornam fãs e querem estar sempre próximas ao locutor. “Nestes anos todos, o reconhecimento aconteceu naturalmente, e isto não tem preço, para mim!”, disse Cambra.

O-locutor-Almir-Cambra

INOVAÇÕES NA ARENA

A entrada do locutor na arena, em caminhonete fazendo evoluções na pista também foi uma inovação criada por Almir. A primeira vez que realizou foi em 96, fazendo o lançamento da Silverado, em Caratinga/MG. No ano seguinte, a Ford entrou para os rodeios e, em 98, Almir fez o lançamento da nova Ranger. “Eu peguei a chave do cara de marketing atrás dos bretes, pois já havia feito o lançamento oficial na Red, em Jaguariúna, e resolvi entrar com ela na pista. Fiz toda aquela apresentação na arena, na época sem fogos e isto chamou a atenção de todos. Posso afirmar que a abertura com a caminhonete fui eu que criei, assim como o estilo técnico. Muita gente criticava, falando que eu dava muito as costas para o público e não fazia verso. No começo fui muito criticado, mas hoje pegou, as pessoas entendem e todo mundo agora quer jogar o chapéu e explicar as montarias. Eu queria que o estilo pegasse e deu certo”.

APRESENTADOR DE TV

A locução levou Almir Cambra a ter experiência como apresentador de TV. Em 97, foi convidado a comandar o programa chamado “Rodeio”, em rede nacional pela TV Bandeirantes. Por um ano apresentou a atração que tinha uma hora de duração.

Em 2009 a experiência se repetiu no programa Crystal Top Team veiculado pela Record News, todos os domingos, também com uma hora de duração. Almir dividia a apresentação com Esnar Ribeiro e outros profissionais do rodeio, usando a própria linguagem do meio. Além de apresentar, também fazia reportagens externas, em várias locações. “Foi uma experiência muito boa, sendo que o reconhecimento nosso é ainda maior. Fico feliz com isto”.

A IMPORTÂNCIA DA FAMÍLIA

Muito ligado à sua família, Almir se tornou papai em 2012. O filho Raul nasceu no início de abril, trazendo grande alegria para o locutor. Como a vida é muito corrida, sempre na estrada, quando consegue uma folga, chega em casa e se desliga de tudo. “Não atendo nem telefone!”.

Aproveitando para trabalhar intensamente agora, Almir ressalta que daqui uns anos pretende diminuir um pouco o ritmo, mas nunca deixar o rodeio. “Constituir família e ser feliz são minhas metas. Quando comecei não imaginava chegar aonde cheguei. Hoje almejo o respeito e o reconhecimento também para quando eu parar!”.

Fonte: Assessoria de imprensa


ÚLTIMAS NOTÍCIAS



Comentários

Não nos responsabilizamos pelos comentários feitos por nossos visitantes, sendo certo que as opiniões aqui prestadas não representam a opinião do Grupo Bússulo Comunicação Ltda.