17/10/2016

Médico veterinário esclarece mitos sobre medicação natural para pets

Confira as dicas do veterinário Leopoldo Ferreira de Camargo

Donos de animais de estimação ocasionalmente falam para os veterinários que eles são relutantes a usar prescrição medicinal, produtos para pulgas, preventivos para dirofilariose, etc., porque preferem usar alguma coisa que seja “natural”. Eles têm medo de químicos e preferem usar alguma coisa que é orgânica ou natural. Mas o que é natural?

Pela definição, produtos naturais são aqueles que vêm da natureza. Mas nem todos os itens que vêm da natureza são seguros ou inofensivos. Arsênico e cianeto são naturais. Arsênico é extraído da terra juntamente com outros metais. Cianeto é encontrado em inúmeras plantas. Cocaína e heroína também vêm da natureza, mas elas certamente não são boas.

Por outro lado, muitas das prescrições médicas são originadas de plantas. Tem sido estimado que entre 25% a 70% de nossos medicamentos contêm, pelo menos, alguns componentes obtidos de plantas.  Aspirina, xaropes, morfina e teofilina (um medicamento prescrito usado como um broncodilatador para doenças respiratórias), todos vieram de plantas. As potentes drogas que curam o câncer como a vincristina e a vimblastina são derivadas de plantas. Taxol, que foi derivado de um casco de árvore de teixo do pacífico, é uma droga quimioterápica que já salvou muitos pacientes com câncer de mama, ovário e pulmão.

Alguns exemplos

Muitos acham que medicamentos fitoterápicos são seguros, pois se originam de plantas e estão sobre o balcão. Infelizmente isso não é verdade. Na verdade, alguns deles podem causar reações fatais. Um exemplo é Ma-Huang que contem efedrina e tem sido usada como produto para perda de peso em pessoas. Nas pessoas pode causar aumento na frequência cardíaca, olhos dilatados, tremores, convulsões e aumento da pressão arterial. Os sintomas nos cães são os mesmos: a morte pode ocorrer decorrente de colapso cardiovascular.

Pessoas que têm medo de química devem se conscientizar que tudo na vida é uma química. Água é uma química: H-2-O. Nosso próprio corpo é uma coleção de um grande número de elementos químicos. Ervas ou produtos naturais são químicos. Por isso nós podemos deduzir que o argumento natural versus o químico não é válido. Tudo na natureza é uma química. O que está por trás do desejo de usar produtos naturais e o medo de substâncias químicas? É o desejo de usar o produto mais seguro.

Agora sabemos que ervas e produtos naturais não são necessariamente seguros. De fato, a indústria aprova o suplemento alimentar e a Lei de Educação e Saúde em 1994, na qual afirma que fabricantes de suplementos alimentares não precisam comprovar sua eficácia ou segurança, e não precisam de controle de qualidade.

O que é um produto seguro? Profissionais da área médica diriam que é um produto que foi estudado cientificamente. Todas as drogas que são prescritas passaram por testes rigorosos antes de serem aprovadas. Esses testes são para provar que a medicação faz seu trabalho e que também é segura. Existem drogas não medicamentosas que foram testadas e aprovadas. Um exemplo é a glucosamina, a qual tem ajudado muitas pessoas e cães com artrite.

Agora, quando você vê um produto rotulado como “natural”, você vai saber que ele é apenas uma estratégia de marketing. A pergunta a fazer é: que tipos de estudos foram feitos?

Outros produtos naturais e seus possíveis efeitos colaterais em animais de estimação

  1. Tea Tree Oil. Isto pode causar vômitos e diarréia, fraqueza, paralisia, pneumonia aspirativa e morte quando aplicado topicamente ou ingerido.
  2. O guaraná tem mais cafeína do que grãos de café e pode conter outras substâncias ativas que podem causar vômitos, hiperatividade, aumento do consumo de água e urinação, ritmo cardíaco acelerado, tremores, convulsões e morte.
  3. Echinacea é um suplemento erval popular também conhecido como flor pente, e a raiz do escorbuto. A Echinacea tem uma ampla margem de segurança, mas tem sido relatada por causar vômitos e salivação excessiva.
  4. Erva de São João é bem conhecida por causar fotossensibilização (úlceras de pele após a exposição à luz solar) em gado e cavalos. Em cães pode causar vômitos, diarreia, tremores e convulsões.
  5. O alho pode interferir com a coagulação do sangue e função da tireoide, baixa do açúcar no sangue, causar vômito, diarreia e alterações nas células vermelhas do sangue.
  6. Cebola pode causar fraqueza e aumentado das taxas respiratórias no coração e também a alteração das células vermelhas do sangue causando anemia, especialmente em gatos.

A Clinicão Clínica Veterinária está localizada na Rua Duque de caxias, 1.656 em Artur Nogueira. Telefone: (19) 3877-5054. Acesse o Facebook ou o site da Clinicão.


IMG_772a8-1469713392Leopoldo Ferreira de Camargo, médico veterinário CRMV-SP, pós graduado em Odontologia de pequenos animais pela Universidade de São Paulo (USP)


ÚLTIMAS NOTÍCIAS



Comentários

Não nos responsabilizamos pelos comentários feitos por nossos visitantes, sendo certo que as opiniões aqui prestadas não representam a opinião do Grupo Bússulo Comunicação Ltda.